domingo, 10 de junho de 2018

«A minha pátria é offshore»


Pacheco Pereira faz uma crítica ao futebol e às televisões,  no jornal Público
Mas há sempre a possibilidade de mudar para pior. E se o tempo dedicado ao futebol fosse ocupado pelos comissários políticos ao serviço do imperialismo alemão com elogios às selvajarias da troika?
Esses comissários políticos  e comissários políticas ao serviço do imperialismo alemão e das suas bases em Bruxelas e Frankfurt, odeiam mais os portugueses do que Bruno de  Carvalho odeia os jogadores do Sporting.

Sem comentários:

Enviar um comentário