terça-feira, 29 de maio de 2018

A Itália estagnada economicamente movimenta-se politicamente

O Movimento Cinco Estrelas e a Liga do Norte não conseguiram formar governo, devido ao veto do presidente da República da Itália.
O Movimento Cinco Estrelas e a Liga do Norte têm maioria no Parlamento, mas o governo tem que ser aceite pelo presidente da República.
Tanto o Movimento Cinco Estrelas como a Liga do Norte são eurocépticos, consideram a moeda euro má para a Itália. O voto nestes grupos políticos é um voto contra os partidos do regime.
Coloca-se esta questão: afinal quem manda na Itália? Será que a Itália tem soberania limitada? Sim, a Itália é, de facto, um país com soberania limitada. É esta a questão do momento - já não os italianos quem manda na Itália.

«Apertem os cintos: a crise do euro está de volta



É difícil distinguir informação de propaganda. Dito isto, se as palavras de Di Maio, líder do Movimento 5 estrelas, forem verdadeiras, quem manda em Itália decidiu que é proibido ter um ministro da Economia que tenha reservas sobre o euro. Como diz Di Maio, se esta é a questão, então temos um problema.

Tudo indica que o governo "técnico" (como é óbvio, mais político era difícil) agora indigitado pelo presidente italiano não será aprovado no parlamento, o que significa que haverá novas eleições depois de Agosto. Os pouco recomendáveis Movimento 5 estrelas e Liga, que juntos já tiveram mais de 50% dos votos nas recentes eleições, passarão os próximos três meses a vitimizar-se, afirmando que deixou de ser possível determinar quem governa Itália através de eleições. Como de costume, os comissários europeus em Bruxelas têm dificuldade em guardar as suas opiniões para si próprios, ajudando à festa. As taxas de juro italianas estão com se vê abaixo. Já vimos um filme parecido. Veremos como este acaba.»


[Ricardo Paes Mamede in blog Ladrões de Bicicletas]

Sem comentários:

Enviar um comentário