sábado, 18 de março de 2017

1917 - 2017 - Cem anos depois da Revolução Comunista na Rússia

«Cem anos depois



Os últimos anos mostraram que, com a queda do Muro de Berlim, não colapsou apenas o socialismo, colapsou também a social-democracia. Tornou-se claro que os ganhos das classes trabalhadoras das décadas anteriores tinham sido possíveis porque a URSS e a alternativa ao capitalismo existiam. Constituíam uma profunda ameaça ao capitalismo e este, por instinto de sobrevivência, fizera as concessões necessárias (tributação, regulação social) para poder garantir a sua reprodução. Quando a alternativa colapsou e, com ela, a ameaça, o capitalismo deixou de temer inimigos e voltou à sua vertigem predadora, concentradora de riqueza, armadilhado na sua pulsão para, em momentos sucessivos, criar imensa riqueza e destruir imensa riqueza, nomeadamente humana. 

Excerto de um artigo de Boaventura de Sousa Santos, publicado no Jornal de Letras no início de Fevereiro. Pode, talvez, funcionar como uma introdução à sua primeira aula magistral deste ano, intitulada “as ciências sociais 100 depois da Revolução Russa” e que terá lugar na próxima segunda-feira, pelas 16h, na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sendo a entrada livre.»
[In blog «Ladrões de Bicicletas», post de João Rodrigues]

Sem comentários:

Enviar um comentário