terça-feira, 6 de setembro de 2016

Um olhar pessimista sobre a moeda euro

«Aprender com a Grécia



Aproveitando o lançamento do seu último livro – The Euro: How a Common Currency Threatens the Future of Europe (O euro: como a moeda única ameaça o futuro da Europa) –, que ainda não tive a oportunidade de ler, o jornalista Frederico Pinheiro da Antena 1 entrevistou o economista Joseph Stiglitz, um Prémio “em memória de Alfred Nobel” que usa instrumentos convencionais para chegar a conclusões que ainda não são convencionais:

“Então Portugal deve ter um plano para sair do euro? Sim, acho que a Europa como um todo devia começar a pensar num divórcio amigável com alguns países, pensar em formas para lidarem com a saída. Não será um processo imune a dificuldades, mas temos de reconhecer que o atual sistema é extraordinariamente prejudicial. Portugal sabe isso, claro, foi uma década perdida e no caso da Grécia estamos a falar de um quarto de século perdido, no mínimo. Os custos foram enormes. Emigração. Tenho amigos em Portugal que viram os filhos irem para a Austrália, Canadá, EUA e estão infelizes porque não veem os filhos. O que isto faz às famílias, à economia... Significa que o crescimento futuro de Portugal está em risco, não estamos apenas a falar de hoje, mas também de amanhã e no longo prazo. Por isso, as escolhas não são agradáveis, mas se reconhecermos o custo de continuar neste pântano, o risco de uma saída de Portugal do euro pode ser mais baixo do que ficar.”» [João Rodrigues in blog «Ladrões de Bicicletas»]  

Sem comentários:

Enviar um comentário