domingo, 19 de junho de 2016

A abominação que é fazer negócios privados com dinheiros públicos é defendida pela Direita. PS + PCP + BE + Verdes defendem a escola pública ultrajada pela Direita e pela Igreja Católica

«80 000 pessoas uniram vozes na Marcha em defesa da Escola Pública

Mais de 80 000 pessoas, oriundas de todas as regiões do país, uniram vozes naquela que foi a maior iniciativa até hoje realizada em defesa da escola pública portuguesa. O desfile entre o Marquês de Pombal e o Largo do Rossio durou três horas.» [In ‘site’ da Fenprof)


«No palco montado no Marquês de Pombal, chegou a vez de Diogo Mendes falar. Ele é presidente da Associação de Estudantes da Escola Secundária Lima de Freitas, em Setúbal, e diz quer a escola pública lhe “ensinou que tudo é possível” e que a “diferença é algo de bom”. É também o que diz Rosa Silva, professora de Educação Visual e Tecnológica e que veio de Vila Nova de Famalicão. Tem nas mãos um dos cartazes reproduzidos pela organização do desfile: mãos de criança pintadas de várias cores.

“O que estas cores querem dizer é que no ensino público aceitamos todas as diferenças”, descreve. Ela é professora do Agrupamento de Escolas D. Maria II, de Vila Nova de Famalicão. Conta que a cerca de três quilómetros da escola onde lecciona existe um colégio com contrato de associação, que já este ano recusou a entrada de um aluno negro que tinha um registo de problemas de comportamento. “Ficou na nossa escola, mas os bons estudantes não. São todos apanhados pelo colégio”, desabafa.» [In jornal «Público» net]


As escolas privadas são genericamente racistas e elitistas. Mas não o podem ser com dinheiros públicos como defende a Direita e o cardeal-patriarca de Lisboa. As escolas católicas em Portugal são, maioritariamente elitistas e racistas. (Fica-se com a ideia de que Jesus Cristo defendia o elitismo e o racismo!)

Sem comentários:

Enviar um comentário