domingo, 17 de abril de 2016

Do Eixo Berlim-Roma ao Eixo Berlim-Washington


Um acontecimento trágico para a Europa foi a formação do Eixo Berlim-Washington. Tal como o Eixo Berlim-Roma de Hitler e Mussolini, o Eixo Berlim-Washington, definido pelos neoconservadores estadunidenses, durante a presidência de George W Bush, já tem no seu curriculum a Expansão para Leste, definida por Hitler no Mein Kampf. A tomada do poder em Kiev pelos subcontratados do Eixo Berlim-Washington e o cerco militar à Rússia são a estratégia para o século XXI, muito facilitada pela covardia de Putin e dos deputados que o apoiam. Putin teve tanto medo durante a guerra da Ucrânia, que deixou morrer muitos russos da Ucrânia, para servirem de propaganda à sua política.
Os responsáveis pelas desgraças dos russos da Ucrânia são os inventores da Ucrânia que foram Lenine e Estaline. Lenine morreu pouco depois de ter inventado a República da Ucrânia, como inventou a da Transcaucásia, onde colocou a Arménia, a Geórgia e o Azerbaijão. A ideia de Lenine era meramente administrativa, ignorando os antecedentes histórico-culturais e as características étnicas. Estaline aplicou à Transcaucásia novos critérios, histórico-culturais e étnicos e acabou com esta república, que substituiu pelas repúblicas da Arménia, da Geórgia (onde nasceu) e do Azerbaijão.
No entanto, Estaline não aplicou à Ucrânia os critérios histórico-culturais e étnicos, porque pensava que a União Soviética seria «eterna», mas nunca incluiu a Crimeia na Ucrânia, tal só aconteceu com o golpe de Estado do ucraniano Krutchov, que tomou o poder em Moscovo. Krutchov foi tirado do poder por outro golpe de Estado, realizado por políticos de etnia russa, entre os quais se destacou o russo Brejnev. Mas Brejnev nunca alterou o estatuto da Crimeia, recolocando-a na República Soviética da Rússia, anulando o golpe administrativo de Krutchov, porque tal como Lenine e como Estaline pensava que a União Soviética seria «eterna». Gorbatchov, que previu a desintegração da União Soviética (URSS – União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) nunca alterou as fronteiras das repúblicas, por lentidão de pensamento e por incapacidade para a acção. Gorbatchov limitou-se a ver instalar-se o caos e a gerir o caos.
Ieltsin ganhou notoriedade, porque subiu na vida dentro do Partido Comunista da URSS, e acabou a gerir o caos e a aumentar o caos. A única decisão lúcida de Ieltsin foi ter apoiado Putin para seu sucessor. Tal como Ieltsin, Putin começou a subir na vida dentro do Partido Comunista da URSS.
Putin, apesar de conhecer bem Europa, porque trabalhou no KGB em Berlim-Oriental, nunca percebeu a tempo, que o ódio da Alemanha e dos Estados Unidos à Rússia, continuaria, independentemente do regime político-económico-financeiro.
Putin percebeu tarde que os Estados Unidos e a Alemanha sonham com o colapso da República da Federação da Rússia, a prazo, ainda no século XXI.
Ora, o Eixo Berlim-Washington visa a expansão da NATO para Leste, e ainda o retrocesso civilizacional que ocorre na Europa, por imposição de Berlim via Bruxelas e via Frankfurt e por Washington via FMI. Este retrocesso civilizacional escuda-se no neoliberalismo, que é uma ideologia criminosa como era o nazismo.
A guerra contra a Grécia feita pela Alemanha e pelos Estados Unidos, via Bruxelas, via Frankfurt e via FMI, tem dado origem a muitos roubos e a muitos mortos, devido à fome e à ausência de cuidados médicos.
E esta ditadura que foi imposta à Grécia, Berlim e Washington querem impô-la a Portugal, via Bruxelas, via Frankfurt e via FMI. O fascista Mário Draghi, discípulo de Mussolini, explicou muito bem as exigências dessa ditadura, que querem aplicar a Portugal.

Berlim e Washington patrocinam a evasão fiscal dos ricos através dos offshores. E depois os que não forem ricos que paguem a evasão fiscal dos ricos. Se os bancos privados forem à falência as classes não ricas que paguem as falências dos bancos privados, ou a má gestão destes.

Sem comentários:

Enviar um comentário