quinta-feira, 21 de abril de 2016

A revolução fascista brasileira quer demitir a Presidente Dilma Rousseff, porque cometeu o crime hediondo de ganhar eleições presidenciais livres.


Para os fascistas ganhar eleições livres é um crime, muitíssimo grave, isto é, um crime hediondo. É por isso que querem por a governar quem se fosse a votos em eleições directas livres nem sequer conseguiria 10% dos votos. 


A Direita portuguesa apoia o objectivo número um da revolução fascista brasileira que é a demissão da presidente eleita em eleições directas livres, e boa parte dos comentadores da Esquerda também, alguns chegam ao descaramento de quererem mandar no pensamento de Dilma, como acontecia no tempo da Inquisição e do tráfico negreiro, isto é, querem que Dilma adira ao fascismo, considere um crime muito grave ter ganho as eleições presidenciais livres e se demita.!!!!!! Isto mostra bem a podridão que vai na comunicação social portuguesa, quer entre os jornalistas quer entre os comentadores.

«After the impeachment vote against Brazilian president Dilma Rousseff, attention is shifting to her accuser-in-chief, who is charged with greater crimes – but looks more likely to escape justice.


Lower house speaker Eduardo Cunha, an evangelical conservative and conspiratorial mastermind, started and steered the drive to remove the country’s first female leader from power as a means of reducing the risks to himself from investigations by a congressional ethics committee and prosecutors for alleged perjury, money laundering and receipt of at least $5m in bribes.» (In «The Guardian»)

Sem comentários:

Enviar um comentário