quinta-feira, 20 de agosto de 2015

A CORRUPÇÃO EM PORTUGAL E NA CHAMADA «UNIÃO» EUROPEIA


Quando há manifestações contra a corrupção no Brasil, os mídia dominantes em Portugal fazem de conta que não há corrupção em Portugal e na chamada União Europeia.
O Tratado de Maastricht em si é um acto de corrupção, porque «legaliza» muita criminalidade. Todos os tratados posteriores ao de Maastricht e que têm por objectivo complementá-lo são em si, todos eles, actos de corrupção.
O «Pingo doce» e o «Continente» pagam os impostos na Holanda. Esta fuga ao fisco em si é um crime muito grave «legalizado» pela chamada «União» Europeia. A fuga aos impostos é um crime estimulado e «legalizado» pela União Europeia. Uns Estados da chamada «União» Europeia roubam a outros o dinheiro dos impostos!!!!
As leis da moeda euro e do falso «BCE» são todas elas um acto de corrupção. A moeda euro e o falso «BCE» foram concebidos para que os Estados da chamada «União» Europeia se roubassem uns aos outros. A Alemanha, habituada ao saque na II Guerra Mundial, pratica o chamado saque germânico. Só com a crise grega a Alemanha já ganhou mais de mil milhões de euros.
Em Portugal o símbolo da corrupção na III República é o Pavilhão Atlântico um caso gravíssimo de corrupção, mas considerada corrupção «legal», que é a mais grave de todas.
A sociedade SGPS é uma organização mafiosa formada por mafiosos do chamado Centrão dos Interesses, que se infiltraram no PSD e no PS.
Dentro da Esquerda o Centrão dos Interesses é representado nas presidenciais por Maria de Belém, que entrou para a política para enriquecer, exercendo cargos governamentais de onde saiu, directamente, para «tachos» no sector privado, directamente ligados à sua actividade como ministra.


Sem comentários:

Enviar um comentário