domingo, 24 de maio de 2015

A DITADURA EXERCIDA POR UM PEQUENÍSSIMO CLUBE DE INIMIGOS DE JOSÉ SÓCRATES É UMA BANDEIRA DA III REPÚBLICA EM 2015


Freitas do Amaral foi o único político, que ponto por ponto, demonstrou que prisão de José Sócrates, se rege pelas normas da ditadura de Salazar e de Marcelo Caetano. É óbvio, um grupo de indivíduos que não gosta de José Sócrates meteu-o na cadeia, porque não gosta dele, tal como Salazar e a PIDE faziam quando não gostavam de um político, metiam-no na cadeia.

Quando se comemorou a Revolução de 25 de Abril de 1974, neste ano de 2015, já não se comemorou a prisão arbitrária e o abuso do poder do fascismo mussoliniano-salazarista-marcelista, porque isso já está de novo em vigor em 2015.


A credibilidade dos políticos mede-se muito pela sua coerência. Ora, não se pode andar a criticar os abusos do poder através das prisões arbitrárias do fascismo mussoliniano-salazarista-marcelista e, ao mesmo tempo apoiar os mesmos abusos de poder através de prisões arbitrárias.
Uma das coisas mais anedóticas da III República é a ausência de espírito crítico em relação ao poder judicial, para muitos, um feudo fascista integrado na III República.
Montesquieu em «O Espírito das Leis» (1748) demonstrou a necessidade de separação dos poderes judicial, executivo e legislativo, análise com a qual estou de acordo. Ora, não foi só o abuso do poder por parte do poder judicial que determinou a prisão de José Sócrates, mas também a incompetência grosseira dos deputados, que criaram os textos em que se baseia o abuso do poder sobre José Sócrates. É um abuso grosseiro: um indivíduo demitido, por incompetência, por José Sócrates é que determinou a sua continuação na prisão.

Esses indivíduos e indivíduas que exercem cargos de juiz ou juíza e de magistrado ou magistrada do Ministério Público são indivíduos e indivíduas como os outros e como as outras, não são vacinados com a vacina da honestidade, porque ela ainda não foi inventada.

Aqueles e aquelas, com cargos no poder judicial, que na Internet ainda gozam com a prisão de José Sócrates mostram-nos o grau de decadência a que chegou a III República, em 2015.

1 comentário:

  1. Explique lá, José, você que explica tanta coisa - e bem, parece-me, pois sou seu leitor - como é essa história de Sócrates vender cabritos e cabras não ter...

    João Pedro

    ResponderEliminar