terça-feira, 24 de março de 2015

TEMPO DE QUEDA DE UMA FAMÍLIA DA ALTA BURGUESIA PORTUGUESIA PORTUGUESA QUE ARRUINOU MUITA GENTE QUE NELA CONFIAVA


Vivemos o tempo da queda da família da alta burguesia mais poderosa na III República de Portugal, que arruinou totalmente alguns pequenos investidores que nela confiavam.

O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, ficou mal na fotografia e no Parlamento tentou justificar-se, mas como regulador falhou mesmo.

1 comentário:

  1. Carlos Costa disse: «O Banco de Portugal acobardar-se teria custado muito ao país».
    Se utilizou a expressão 'acobardar' é porque o Banco de Portugal foi alvo de pressões/ameaças!...
    É muito importante que os políticos (funcinários do estado) não-corruptos se sintam apoiados pelos contribuintes... e, como é óbvio, o 'Direito ao Veto do contribuinte'... será uma forma de os contribuintes apoiarem os políticos (funcionários do Estado) não-corruptos face àqueles que se consideram 'donos disto tudo'.
    .
    .
    -» Votar em políticos não é (não pode ser) passar um cheque em branco... isto é, ou seja, os políticos e os lobbys pró-despesa/endividamento poderão discutir à vontade a utilização de dinheiros públicos... só que depois... a 'coisa' terá que passar pelo crivo de quem paga (vulgo contribuinte).
    ---> Leia-se: deve existir o DIREITO AO VETO de quem paga!!!
    [ver blog 'fim-da-cidadania-infantil']

    ResponderEliminar