sábado, 7 de março de 2015

A MITOLOGIA NEOLIBERAL DAS PRIVATIZAÇÕES É CONTRA O BEM COMUM


Uma das aberrações da Troika (FMI + «CE» + falso «BCE») é roubar à maioria dos cidadãos empresas, altamente rentáveis e estratégicas, para as vender a quem tiver dinheiro (ou a quem não o tendo o consiga arranjar). E, em termos de dívida pública, os lucros dessas empresas serviriam para enriquecer o Estado, serviriam para que o Estado obtivesse receitas.

Cavaco já anda a apoiar a campanha eleitoral do Passos Coelho, há que agradecer a negociata do lucrativo Pavilhão Atlântico.


"A EDP vai distribuir 1,040 mil milhões de euros de lucros. Se esta ainda fosse uma empresa pública, esses lucros constituiriam receita no Orçamento do Estado. Tomando como base comparativa os gastos do Estado em rubricas importantes no ano de 2015, conclui-se que é um montante equivalente a mais de metade da despesa da Segurança Social em subsídio de desemprego, a cinco vezes mais que o rendimento social de inserção ou, noutra ótica, a mais de um quarto do investimento público. Se a EDP ainda fosse uma empresa pública, Portugal poderia não ser um dos países da Europa com o preço da energia mais caro. Se a EDP fosse uma empresa pública não existiriam as tais rendas excessivas de que todos falam. Para onde vai o milhão e quarenta mil milhões? Quanto desaguará em investimento produtivo? Quantos empregos irá criar? 

Segundo o jornal "i", desde 2010 até 2014 os gestores e acionistas da PT levaram para casa 3,5 mil milhões de euros. Nesse mesmo período as remunerações dos trabalhadores da empresa diminuíram 5,3%, a remuneração fixa e variável dos administradores aumentou 19%. Se ainda fosse uma empresa pública, grande parte destes 3,5 mil milhões de euros poderia ter sido reinvestida na empresa, desenvolvendo-a e criando emprego e também podia ter ajudado a reforçar os orçamentos da saúde, da educação, ou da proteção social. Em vez disso, para onde foram os 3,5 mil milhões de euros? Esse valor é pouco menos de metade do valor pelo qual foi vendida a PT." »

(Manuel Carvalho da Silva, Jornal de Notícias, cit. In blog «Ladrões de Bicicletas»)

Sem comentários:

Enviar um comentário