domingo, 14 de dezembro de 2014

O RETROCESSO NA QUALIDADE DE VIDA DA GRANDE MAIORIA DOS PORTUGUESES É UM FEITO DE PASSOS, PORTAS E CAVACO


Sem eleições e sem a formação de um novo governo, liderado por António Costa, continuará a ausência de esperança, Passos Portas e Cavaco tentaram destruir a esperança dos portugueses em algo melhor. E, parcialmente, conseguiram, porque, embora a maioria dos eleitores vá votar contra o PSD e o CDS em 2015, já quase ninguém acredita no futuro.

A União Europeia, que foi a esperança de melhoria da qualidade de vida para muita gente, impõe e quer continuar a impor aos portugueses um retrocesso civilizacional de grande magnitude.

3 comentários:

  1. O José Freitas insiste na ilusão de que Costa é diferente. Costa é um homem do arco da governação e da confiança do grande capital. Mesmo que queira modificar esta realidade proclamando mil vezes que as coisas não são o que são de nada lhe servirá, também para meu mal. Abençoados, ele e Rio, por Bilderberg. Mas há alternativa, o José, se puder olhar, veja. Se puder ver, repare.

    João Pedro

    ResponderEliminar
  2. O Passos no poder é muito perigoso. Tirá-lo de lá é sempre um passo em frente.

    ResponderEliminar
  3. Realmente este blog é todos os dias certeiro, apenas nesta questão do António Costa não creio que ele deva ser já apontado como líder do próximo governo, porque se isso acontecer não será coisa boa. É verdade que como as coisas estão, qualquer um é capaz de fazer melhor do que este governo, de governar mais honradamente, com um mínimo de princípios ideológicos (estes aldrabões dão o dito por não dito e tudo o que se sabe é que estão lá para favorecer o contínuo enriquecimento ilícito da classe dominante ultra-minoritária, até há gente de direita de que não os suporta!). Mas o António Costa não e é a melhor solução, digo eu. Abraço

    ResponderEliminar