segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

EM 1 DE DEZEMBRO DE 1640 PORTUGAL CONQUISTOU PELA SEGUNDA VEZ A INDEPENDÊNCIA


Em 1143 D. Afonso Henriques foi reconhecido rei de Portugal pelo imperador de Leão e Castela, mas no contexto do feudalismo era vassalo do imperador de Leão e Castela. Em 1179, pela bula Manifestis Probatum, D. Afonso Henriques tornou-se vassalo directo do papa Alexandre III, ficando assim Portugal totalmente independente.
Em 1580 o exército de Portugal, comandado por D. António Prior do Crato, foi derrotado na batalha de Alcântara, frente à cidade de Lisboa, do lado Oeste, pelas tropas invasoras da Espanha, às ordens do rei de Espanha Filipe II. Portugal perdeu a sua independência.
Aproveitando a revolta da Catalunha, houve em Lisboa a Revolução de 1 de Dezembro de 1640, dirigida pela alta nobreza, com grande apoio popular, restaurando a independência de Portugal, com a escolha do Duque de Bragança para rei de Portugal, com o título de D. João IV.

A consolidação da independência só foi possível através de vitórias militares posteriores. Muitos portugueses morreram a lutar pela independência de Portugal.


As tropas portuguesas venceram a batalha de Montijo em 1644, sob o comando de Matias de Albuquerque; a batalha das Linhas de Elvas, em 1658, sob o comando do Conde de Cantanhede, que depois se tornou o Marquês de Marialva; a batalha de Ameixial, em 1663, sob o comando do Conde de Vila Flor e do Conde de Schomberg; a batalha de Castelo Rodrigo, em 1664, sob o comando de Pedro Jacques de Magalhães e a batalha final de Montes Claros, em 1665, sob o comando do Marquês de Marialva.

Sem comentários:

Enviar um comentário