sábado, 30 de agosto de 2014

O REGRESSO DO NAZISMO À EUROPA E A EXPANSÃO PARA LESTE DO REICH ESTADUNIDENSE



O regime fascista-nazi de Kiev usa no leste da Ucrânia a mesma táctica da Wehrmacht e das Waffen-SS na operação Barbarossa, o cerco de cidades e o bombardeamento dos civis com artilharia pesada.
Como aqui tem sido referido, as alianças da II Guerra Mundial modificaram-se. Na II Guerra Mundial Berlim combatia contra Paris, Londres, Moscovo e Washington. Em 2014 Berlim combate ao lado de Paris, Londres e Washington contra Moscovo na Operação Barbarossa 2.
A operação Barbarossa 2 visa o cerco à Rússia. Mais cedo ou mais tarde a Rússia vai ter que deitar para o lixo os acordos SALT II de controlo de armas nucleares, porque perante uma ameaça tão clara de cerco à Rússia, com sistemas ditos antimísseis ao redor da Rússsia, com o estacionamento de tropas estadunidenses ao redor da Rússia, nos países vassalos de Washington em que sobressaem a Polónia e os pequenos Estados Bálticos que foram aliados de Hitler na operação Barbarossa (Estónia, Letónia e Lituânia), a Rússia vai ter que fabricar armas nucleares modernas em número muito superior ao necessário para destruir todo o planeta Terra e usar novas estratégias como os mísseis nucleares de cruzeiro supersónicos. Perante a operação Barbarossa 2, a Rússia tem que ter meios para dissuadir o mais louco neoconservador que possa no futuro ganhar as eleições em Washington.

Se dúvidas houvesse, hoje vemos que os Estados Unidos, a União Europeia e a NATO não querem saber de Direitos Humanos para nada, já não estão na moda, Guantánamo e as respectivas sucursais e a selvajaria dos bombardeamentos sobre mulheres e crianças na Faixa de Gaza e no Leste da Ucrânia comprovam isso, bombardeamentos estes supervisionados e apoiados por Washington.

Sem comentários:

Enviar um comentário