quinta-feira, 28 de agosto de 2014

A DITADURA ALEMÃ SOBRE A FRANÇA EM 2014 É SEMELHANTE À DE 1940 - 1944



«A social-democracia europeia perdeu-se entre a globalização e o projecto europeu e nunca mais conseguiu encontrar um caminho próprio.

Não entendeu que estes dois factos, em conjunto, enfraqueceram o controle do Estado sobre os mercados e privilegiaram a economia face aos factores políticos e sociais.»  (Fernando Sobral in «Jornal de Negócios» cit. in blog «Entre as brumas da memória»)

«E privilegiaram a economia face aos factores políticos e sociais?» Claro que não, os factores políticos são os que interessam à direita neoliberal e os factores sociais são a submissão à ditadura objectiva da alta burguesia, ditadura (ainda por cima) de inspiração divina, por ser inevitável. Só as decisões dos deuses são consideradas inevitáveis. Reparemos que a vitória de Hitler na II Guerra Mundial era «inevitável», mas perdeu a guerra.
A social-democracia europeia não se perdeu entre a globalização e o projecto europeu, escolheu, conscientemente, trair os seus princípios e tornar-se mais um agente defensor da alta burguesia e do consequente retrocesso civilizacional.
Hollande e Valls sabem bem que são uns traidores e são uns traidores porque gostam de ser uns traidores. Mas, Hollande e Valls não são só traidores em relação aos princípios socialistas, são traidores nacionais com Pétain e Sarkozy, estão de joelhos (tal como Pétain e Sarkozy) diante da ditadura de Berlim sobre a França.

Os interesses nacionais da Alemanha são contrários aos interesses nacionais da França em 2014, como eram em 1914 e em 1939.

Sem comentários:

Enviar um comentário