terça-feira, 10 de junho de 2014

O INIMIGO ÀS PORTAS DE MOSCOVO EM JUNHO DE 2014


A Rússia foi transformada em União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) por Lenine em 1922. O trabalho de Lenine ficou incompleto, mas ele criou a República Socialista Soviética da Ucrânia, factualmente. A República da Ucrânia foi inventada por Lenine, factualmente, sem a Crimeia, em 1922, à custa da Rússia.
Estaline aumentou, consideravelmente, o território da República Socialista Soviética da Ucrânia para Oeste, com territórios conquistados durante a II Guerra Mundial, mas manteve a Crimeia fora da Ucrânia. Estes novos territórios a Oeste, anexados por Estaline, vieram criar uma grande mistura étnica dentro da RSS da Ucrânia.
Em 1954, através de um golpe de Estado sangrento, o ucraniano Nikita Krutchov tomou o poder em Moscovo e doou a Crimeia à RSS da Ucrânia, com claro prejuízo da República Socialista Soviética da Rússia,

que deu origem à República da Rússia actual, cujo nome oficial é República da Federação da Rússia, cujo símbolo é a águia bicéfala da Rússia czarista, que por sua vez era o símbolo do Império Bizantino ou Império Romano do Oriente (que durou quase mais mil anos que o Império Romano do Ocidente, mais precisamente mais 979 anos, porque o Império Romano do Ocidente caiu em 476 e o Império Romano do Oriente caiu em 1453). O conceito czar é romano, significa César. Júlio César foi um general da República Romana que se tornou ditador, através de um golpe de Estado militar, mas nunca foi imperador. O primeiro imperador Romano foi Octávio César Augusto, filho de uma sobrinha de Júlio César. (Quem quiser aprofundar pode consultar o livro «Os Doze Césares» do escritor romano Suetónio).
A Rússia czarista assume-se como continuadora do Império Romano do Oriente, nomeadamente no aspecto religioso.
Nikita Krutchov foi deposto pelos comunistas de etnia russa, através de um golpe de Estado, e condenado a prisão perpétua domiciliária. Porém, os russos que passaram a dominar a URSS ou União Soviética não anularam, formalmente, a anexação ilegal da Crimeia pela RSS da Ucrânia, através de Krutchov, porque pensavam que a União Soviética seria eterna. Gorbatchov, apercebeu-se de que a União Soviética iria, eventualmente, implodir, mas não anulou a decisão de Krutchov contra a RSS da Rússia e a favor da RSS da Ucrânia, o que revela indigência intelectual.
E, em 2014, recorrendo aos fascistas-nazis Washington e a União Europeia, apoderaram-se da Ucrânia.


Putin só percebeu que tinha o inimigo às portas de Moscovo depois de ter reanexado a Crimeia.

Com a Crimeia de volta à pátria da Rússia, pois os seus habitantes são de etnia russa, o inimigo está às portas de Moscovo, bem às portas de Moscovo, em Junho de 2014. Putin acobardou-se e tem deixado chacinar os ucranianos-russos.

Sem comentários:

Enviar um comentário