sexta-feira, 27 de junho de 2014

A SELECÇÃO DE PORTUGAL E O HORROR AO MOMENTO PRESENTE


Os traidores do governo PSD-CDS perante os horrores do momento presente falam num futuro melhor. O momento presente é este – a maior parte dos portugueses está muito pior do que estava no governo de José Sócrates.

Antes do Mundial de Futebol do Brasil 2014, era previsível que Portugal perdesse com a Alemanha e que ganhasse aos Estados Unidos e ao Gana. Os factos estiveram muito perto das previsões, só não estava previsto Portugal empatar com os Estados Unidos, mas até nem perdeu.
Não é muito aceitável sobrevalorizar a derrota com a Alemanha, que era previsível e esperada.

Portugal perdeu a qualificação no jogo contra os Estados Unidos.
O horror ao momento presente foi decisivo para o fracasso de Portugal no jogo contra os Estados Unidos.
Ora, se Cristiano Ronaldo tivesse concretizado as oportunidades de golo que teve contra o Gana, Portugal tinha goleado o Gana. Mais uma vez, o horror ao momento presente levou a selecção de Portugal ao fracasso. Cristiano Ronaldo é um especialista em concretização. É um especialista a marcar golos. Quando está frente ao guarda-redes costuma rematar para dentro da baliza fora do alcance do guarda-redes. Quando marca livres, especializou-se a colocar a bola dentro da baliza fora do alcance do guarda-redes.

Bastava Cristiano Ronaldo executar os remates com a qualidade em que se especializou para que Portugal tivesse goleado o Gana. Foi um erro grave considerar que Portugal não podia golear o Gana, até podia se Cristiano Ronaldo estivesse inspirado. Cristiano Ronaldo teve no jogo contra o Gana uma grande oportunidade de se afirmar perante todo o Mundo e não a aproveitou.

Sem comentários:

Enviar um comentário