quarta-feira, 25 de junho de 2014

A QUEDA DOS MITOS NA EUROPA


Portugal entrou para a chamada «União Europeia» para melhorar a qualidade de vida da maioria dos seus habitantes. Numa primeira fase isso aconteceu efectivamente. Mas as coisas mudaram e a chamada «União Europeia» tornou-se um conjunto de países que se roubam uns aos outros.
Sob o ponto de vista social, a pequena minoria dos oligarcas (ou alta burguesia), que anda por cerca de 1% da população apoderou-se do poder, não só social que já tinha, mas também do poder político. O neoliberalsmo, praticado pelo ladrão, torturador e assassino Pinochet, assessorado por Milton Friedman tornou-se a ideologia de referência na chamada União Europeia. É bom lembrar que a CIA de Nixon e Pinochet resolveram torturar e assassinar num estádio de futebol o poeta e canto Victor Jara, porque escrevia poemas e cantava. O mito de que a dita civilização ocidental defende os Direitos Humanos é um mito, sem sustentação em factos. A realidade é horrorosa. Mandaram torturar e assassinar um homem, porque fazia poemas e cantava!!! Este acto da mais alta barbárie foi planeado por Washington, apoiado pela CEE/CE/União Europeia. A tortura e assassinato de Vtctor Jara constituíram um momento de glória da chamada civilização ocidental, um momento de glória dos valores ocidentais.
Quem é de Esquerda não perdoa nunca, jamais, aos assassinos de Salvador Allende, de Victor Jara e de Che Guevara, à CIA, ao imperial-colonialismo de Washington. Achei repugnante que o escritor que fundou o «Partido Livre», Rui Tavares, tenha apoiado, publicamente, os assassinos de Salvador Allende, do poeta e cantor Victor Jara e de Che Guevara.
 Essa ideia de que os partidos da Internacional «Socialista» respeitam os Direitos Humanos é anedótica, é humor negro. Esses partidos apoiaram sempre os assassino de Salvador Allende, de Victor Jara e de Che Guevara.
Ninguém respeita os Direitos Humanos, ninguém.

Sem comentários:

Enviar um comentário