quarta-feira, 28 de maio de 2014

PUTIN DEIXA CHACINAR OS UCRANIANOS-RUSSOS E FICA COM O INIMIGO ÀS PORTAS DA RÚSSIA



Estaline desenhou o mapa da República da Ucrânia, mas não teve medo aos nazis. A batalha de Kiev em 1941 foi uma pesada derrota para Estaline frente aos nazis. Mas, houve uma segunda batalha de Kiev sob o comando de Estaline e os nazis foram, objectivamente, massacrados, digamos que muitos deles foram exterminados em combate.
Estaline não previu os ódios étnicos dentro da Ucrânia, cujo mapa desenhou meticulosamente (sem a Crimeia).

Putin deixa massacrar os ucranianos-russos, estando à frente de uma potência nuclear, deixa-os morrer como cães às mãos dos fascistas-nazis de Kiev. Esta é a realidade. Há um declínio da inteligência das elites políticas da Rússia em 2014.


«Guarda Nacional da Ucrânia usa balas explosivas proibidas perto de Luhansk

Guarda Nacional da Ucrânia usa balas explosivas Banned Perto Luhansk
00:37 28/05/2014
Tags: balas explosivas , Guarda Nacional , Ucrânia , Luhansk
Luhansk, 28 de maio (RIA Novosti) - Soldados da Guarda Nacional da Ucrânia usaram balas explosivas proibidas enquanto bombardeavam a cidade de Rubizhne, perto Luhansk, disseram  membros das forças de autodefesa locais à RIA Novosti quarta-feira.
"Eles começaram a disparar balas explosivas em áreas residenciais. As pessoas começaram a se esconder em porões ", disse ele. "Aparentemente, a Guarda Nacional não sabe que as balas explosivas são proibidas por convenção internacional", acrescentou.
Tiros  atualmente pararam  na área e não houve relatos de feridos.
Moradores relataram anteriormente que o tiroteio tinha retomado na cidade e continuou durante toda a noite com  intervalos de 5 a 10 minutos.
Protestos pró-federalização já varreram regiões do Sudeste da Ucrânia, em resposta à mudança de regime em Kiev em fevereiro e à destituição do presidente legítimo do país, Viktor Yanukovich.
Em meados de abril, o governo interino da Ucrânia lançou uma operação especial para combater a federalistas, mas não conseguiu ganhar o controle sobre as repúblicas independentes auto-proclamadas. Moscou descreveu a operação como um ato punitivo.» (In «RIA Novosti»)

1 comentário:

  1. Muito antes de 1700, já a região da Ucrânia era parte integrante da Rússia. Em todas as Histórias se lê que Napoleão após atravessar a Polónia entrou na Rússia. Eisenstein filmou a Revolução Russa (O Couraçado Potenkine) nas escadarias de Sebastopol,na Crimeia,entâo e ainda Rússia. Em Kiev,na II Guerra Mundial foi o Exército Vermelho o heróico vencedor, e etc.,etc.,etc.,ou seja, a espúria separação da Ucrânia não é mais que uma provocação exploratória ao poder russo. Que este não responda de imediato e em força parece-me uma atitude prudente,deixando que os actores e encenadores da farsa mostrem a face.Tudo valerá a pena e estará bem se o caso acabar como a História impõem e a prática da verdadeira democracia o exige.

    ResponderEliminar