quinta-feira, 8 de maio de 2014

MASSACRE DE ODESSA - FASCISMO-NAZISMO REGRESSOU AO PODER NA EUROPA


Com o delirante apoio da União Europeia e dos Estados Unidos o fascismo-nazismo regressou ao poder na Europa, em Kiev.
A Portugal voltou a Censura fascista, que até 25 de Abril de 1974 era estatal, agora é privada.
A Censura estendeu-se aos meios de comunicação dominantes na chamada civilização ocidental.
«O renomado jornalista Robert Parry, por exemplo, acusou o The New York Times de “deturpar sistematicamente a informação sobre os acontecimentos na Ucrânia” e cita a tragédia desse final de semana em Odessa,  que tirou a vida de mais de 40 pessoas em um incêndio criminoso após manifestantes contra o governo de Kiev terem se refugiado no prédio da Casa dos Sindicatos, tentando escapar de uma armadilha promovida pelos ultra-nacionalistas do Setor Direita. O jornal sequer mencionou isso no seu artigo, deixando sem explicação quem foi queimado vivo dentro do prédio e quem fez os partidários da federalização ficar por trás.» (In «revistaforum»)


Para sabermos até que ponto a imprensa ocidental apoia o regime fascita-nazi de Kiev, posso referir que o ex-jornal da extrema-esquerda francesa «Libération», que virou bastante à Direita, apoia, abertamente, a junta fascista-nazi de Kiev.

Nos meios de comunicação dominantes na chamada civilização ocidental a verdade sobre o fascismo-nazismo de Kiev é crime.
A máxima extensão do poder oficial fascista - nazi na Europa e Norte de África está assinalado no mapa a azul relativo a 1941 - 1942, a seguir.
Este é o mapa oficial, mas a Espanha fascista de Franco e o Portugal fascista de Salazar também deveriam estar a azul.

A seguir mostro o estandarte da Divisão Azul da Wehrmacht, que integrava as tropas espanholas e portuguesas que combateram sob as ordens de Adolf Hitler.
Nazis puseram Estalinegrado a arder, como puseram o prédio dos sindicatos de Odessa em 2014, mas não venceram em Estalinegrado.

Made in Germany – fábrica de fertilizantes para a agricultura, em Auschwitz, em que a matéria-prima eram seres humanos vivos, homens, mulheres e crianças de todas as idades, especialmente judeus.
Pormenores do fabrico de fertilizantes para a agricultura em Auschwitz são mostrados a seguir.



Afirmações solenes de apoio à ideologia nazi a seguir.

Sem comentários:

Enviar um comentário