segunda-feira, 12 de maio de 2014

A REPÚBLICA POPULAR DE DONETSK E LUGANSK E O APOIO À JUNTA FASCISTA-NAZI DE KIEV PELA UNIÃO EUROPEIA E PELOS ESTADOS UNIDOS


Segundo a legalidade da  União das Repúblicas Socialistas Soviéticas estabelecida por Lenine e Estaline, a entrega da Crimeia à Ucrânia, através do golpe de Estado de Nikita Krutchov em 1954 foi sempre ilegal, de acordo com as leis da URSS que foram estabelecidas por Lenine e Estaline.

Ora, em, síntese, a anexação da Crimeia pela RSS da Ucrânia em 1954, pela mão de Nikita Krutchov, foi sempre ilegal, face às normas da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas estabelecidas por Lenine e Estaline.


Lenine e Estaline desenharam o mapa da Ucrânia como uma subdivisão da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, que eles pensavam que seria eterna. Ora esta ideia de «fim da História» de Lenine e de Estaline levou-os a colocarem na Ucrânia populações muito diferentes. Estaline conquistou vastos territórios na II Guerra Mundial, especialmente à Alemanha, pois fez recuar mil anos a fronteira Leste da Alemanha, do século XX, para a linha dos rios Óder e Neisse do século X (linha Óder-Neisse). A maior parte dos territórios alemães, conquistados por Estaline na II Guerra Mundial, foram dados por Estaline à Polónia. Destes territórios alemães só ficaram para a Rússia os territórios de Kalininegrado (antiga Prússia Oriental).
Já que Estaline deu vastos e ricos territórios da Alemanha à Polónia, como compensação anexou parte da Polónia Oriental. Alguns destes territórios polacos anexados por Estaline foram entregues à RSS da Ucrânia. Estaline tornou a Ucrânia uma grande mistura de grupos étnicos.
Ora, a tomada do poder em Kiev pela Junta Fascista-Nazi de Kiev, apoiada pelos vigaristas da União Europeia e dos Estados Unidos mudou tudo.
O massacre de 46 russos-ucranianos em Odessa pelos bandos fascistas-nazis de Kiev, queimados vivos, fez lembrar o primeiro massacre de Odessa por bandos fascistas-nazis, que assassinaram em massa judeus ucranianos-russos, durante a II Guerra Mundial

Recordando o massacre de Odessa dos judeus ucranianos-russos por bandos fascistas-nazis, semelhantes à actual Junta Fascista-Nazi de Kiev, os ucranianos-russos de Donetsk e Lugansk proclamaram a independência da República de Donetsk e Lugansk. As Waffen-SS criadas pela Junta Fascista-Nazi de Kiev (Guarda Nacional-Socialista), com o apoio da União Europeia e dos Estados Unidos fuzilaram ontem em Donetsk dois civis ucranianos-russos.

Segundo a comissão eleitoral, em referndo, realizado em 11 de Maio de 2014, 89,07% votaram a favor da separação de Donetsk da Ucrânia e 10,19% contra, isto é, 89,07 % votaram a favor da criação da República Popular de Donetsk e Lugansk, contra a Junta Fasista-Nazi de Kiev e contra os seus apoiantes da chamada União Europeia (que na realidade é um conjunto de países que se roubam, escandalosamente, uns aos outros) e do Reich de Washington.

Em Lugansk o resultado do referendo de 11 de Maio de 2014, foi de 96,2% pelo sim à independência, contra a Junta-Fasista Kiev e contra os seus apoiantes da União Europeia e dos Estados Unidos.

Sem comentários:

Enviar um comentário