quarta-feira, 16 de abril de 2014

OS ESTADOS UNIDOS E A UNIÃO EUROPEIA DERAM LUZ VERDE À JUNTA FASCISTA DE KIEV PARA COMEÇAR A MATAR COM AVIÕES DE GUERRA AS POPULAÇÕES DE LÍNGUA RUSSA

A Rússia europeia em 1914, antes da I Guerra Mundial, no mapa, a seguir.

A Ucrânia era uma região da Rússia. Em 1922 Lenine criou a República (Socialista Soviética) da Ucrânia, cujas fronteiras foram modificadas pelos seus sucessores (como podemos observar no mapa a seguir), no território que tinha pertencido à Rússia czarista.


Já começou a guerra na Ucrânia

com a operação «Barbarossa II», de que se vê um ataque de um avião de guerra às ordens da junta fascista de Kiev, contra populações de língua russa. A cor rosa, no mapa da Ucrânia, a seguir, corresponde às populações de língua russa.

(...) Ontem «começou a Guerra Civil!

Apesar de falida, a Ucrânia ocupa uma importantíssima posição geo-estratégica, tem uma forte indústria pesada, recursos minerais e é dos maiores produtores mundiais de vários cereais (o preço do trigo já começou a subir…). Este é um conflito que vai afectar profundamente todo o mundo. A economia, a sociedade e a correlação de forças entre classes e blocos geo-políticos…
O que está em causa é saber se o fascismo toma conta da Ucrânia ou não. Se a economia desse rico país é pilhada e destruída pelo FMI ou não. Se as minas continuam nacionalizadas ou se são encerradas e vendidas por “tuta e meia”. Se as fábricas e a indústria pesada é encerrada ou não. Se as terras (que ainda são públicas/nacionalizadas) que produzem vastas quantidades de cereais são privatizadas ou não. Se a NATO se reforça ou enfraquece. Se a soberania reside no povo ou numa junta ilegal golpista. (...)» (In blog «5 Dias net»)

A situação na Ucrânia narrada pela escória do jornalismo português:

«Quatro mortos no primeiro dia da operação antiterrorista na Ucrânia

Publicado ontem

FÁTIMA MARIANO
 3 1 0
Pelo menos quatro pessoas morreram, esta terça-feira, no leste da Ucrânia durante a ação antiterrorista lançada pelas autoridades de Kiev. Forças governamentais assumiram controlo do aeródromo de Kramatorsk.
foto REUTERS/KONSTANTIN CHERNICHKIN
Quatro mortos no primeiro dia da operação antiterrorista na Ucrânia
Governo ucraniano enviou 300 militar e 20 veículos blindados para o leste do país
Cerca de 300 militares ucranianos e 20 veículos blindados entraram, na manhã desta terça-feira, em Slaviansk, na região de Donetsk, onde ativistas pró-russos continuavam a ocupar os edifícios dos Serviços Secretos e do Ministério do Interior, segundo as agências de notícias russas Itar-Tass e Interfax.
Em Kramatorsk, também no leste do país, as forças ucranianas conseguiram retomar o controlo do aeródromo, anunciou o presidente interino Alexander Turchínov.
A agência Ria Novosti noticiou que pelo menos quatro pessoas morreram e oito ficaram feridas durante o ataque. Quatro aviões militares bombardearam a zona havendo relatos de que pelo menos um destes tenha sido abatido pelos separatistas.
O chefe da operação antiterrorista, general Vasili Krútov, avisou as milícias pró-Moscovo de que "não haverá mais ultimatos" e que o Exército "combaterá os invasores estrangeiros".
Pelo menos 10 cidades do leste da Ucrânia, zona onde se concentra a maioria da indústria do país, continuam a ser controladas por ativistas pró-Rússia.» (In «Jornal de Notícias», como disse, repito, a escória do jornalismo português.)

Sem comentários:

Enviar um comentário