sexta-feira, 25 de abril de 2014

A RENDIÇÃO DO DITADOR FASCISTA MARCELO CAETANO FOI EM 25 DE ABRIL DE 1974 NO QUARTEL DO CARMO DA GNR, EM LISBOA


As televisões portuguesas existem para mentir, existem para substituírem a censura estatal pela censura por «razões editoriais». Existem para nos dizerem que só há um caminho, o caminho imposto por Berlim, para nos dizerem que os portugueses devem viver no desemprego esfomeados, por falta de meios, e que mesmo assim a miséria ainda é pouca, isto é, porque os desempregados esfomeados ainda não morreram à fome porque vivem acima das suas possibilidades, e que é necessário mais um ajustamento para que os desempregados morram mesmo à fome e quando isso acontecer estarão na «nova normalidade» neoliberal.
Num desses noticiários fiquei a saber que a GNR (Guarda Nacional Republicana) foi criada há 600 (seiscentos) anos. Há 600 anos estávamos em 1414 e o chefe do Estado era o rei D. João I, que pelos vistos não era monárquico e terá fundado a Guarda Nacional Republicana.
O artigo sobre a GNR da «Wikipedia» foi escrito por uma pessoa com uma opinião diferente, que afirma que a Guarda Nacional Republicana foi criada no século XIX (dezanove) o que até faz sentido, como a República foi implantada em 5 de Outubro de 1910 ficámos a saber que 1910 foi no século XIX (dezanove), o que tem muita lógica, a 1910, tiramos o 10 e fica o século 19 (dezanove), obviamente.

Mas até há que diga, por aí, que 1910 foi no século XX (vinte) e que a GNR foi criada pelo Partido Republicano, através do Decreto-Lei de 3 de Maio de 1911, sendo o primeiro-ministro Manuel de Arriaga (presidente do Governo Provisório da I República Portuguesa) cargo que na atrás referida data acumulava, na prática, com o de presidente da I República.

Sem comentários:

Enviar um comentário