segunda-feira, 3 de março de 2014

PENÍNSULA DA CRIMEIA


A Ucrânia em 1913 era uma região da Rússia conquistada no século XVII (dezassete), pelo czar Pedro o Grande, cujos habitantes eram eslavos e falavam russo.
A Ucrânia como república foi invenção de Lenine e de Estaline.
Os ucranianos de língua não russa viviam em 1913 no Império Austro-Húngaro, mas a região não se chamava Ucrânia.
Em 1945, Estaline vencedor da II Guerra Mundial fez as fronteiras como lhe apeteceu, na Europa Oriental, sem oposição dos Estados Unidos e do Reino Unido.
Fez recuar mil anos a fronteira Leste da Alemanha, para a linha dos rios Óder e Neisse, linha Óder-Neisse e expulsou casa a casa das cidades, vilas e aldeias mais de 10 milhões de civis alemães ( praticamente todos). Por razões de Geografia, Estaline deu um grande pedaço da Alemanha à Polónia e tirou um pedaço à Polónia ainda maior, que deu à RSS da Bielorrússia e à República Socialista Soviética da Ucrânia a parte da Polónia onde viviam os ucranianos do antigo Império Austro-Húngaro (que acabou em 1918).
Com Estaline a Península da Crimeia pertencia à RSS da Rússia. Em 1954, o ucraniano Nikita Krutchov, através de um golpe de Estado tomou o poder na União Soviética e nesse ano tirou a Península da Crimeia à RSS da Rússia e deu a Península da Crimeia (habitada por russos) à RSS da Ucrânia. Os comunistas naturais da Rússia depuseram Nikita Krutchov em 1964, mas não devolveram a Península da Crimeia à RSS da Rússia, porque pensavam que a URSS seria «eterna».

O golpe de Estado de Kiev, copiado do fascismo de rua que levou Mussolini ao poder em 1922, foi feito pelos ucranianos-polacos (que em 1913 estavam no Império Austro-Húngaro).

Sem comentários:

Enviar um comentário