sexta-feira, 21 de março de 2014

CONTRA A HUMILHAÇÃO INTELECTUAL


A chamada «esquerda caviar» alinha com Ângela Merkel, com os neoconservadores dos Estados Unidos, com Durão Barroso e com Passos Coelho na questão da Crimeia, tem a mesma posição.
É trabalhoso procurar uma nação independente com mais de mil anos chamada Ucrânia, porque ela não existe. A região da Ucrânia foi conquistada pelo czar Pedro o Grande no século XVII e desde então fez parte da Rússia. O regime marxista-leninista, pela mão de Lenine transformou a Rússia, em 1922, em União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. A criação da URSS foi um acto generoso de Lenine, mas acabou por prejudicar a República da Rússia. Os criadores da República da Ucrânia foram Lenine e Estaline, dentro do espaço da antiga Rússia czarista. Estes ucranianos falam russo. Lenine e Estaline não se preocuparam muito com a RSS da Rússia, porque pensavam que a URSS seria eterna.
Os ucranianos do Ocidente viveram no Império Austro-Húngaro e falavam ucraniano, mas a sua região nem Ucrânia se chamava, mas chamava-se Galícia. O Império Austro-Húngaro colapsou em 1918 com a derrota na I Guerra Mundial. Os ucranianos do Ocidente, viviam na Galícia, foram integrados na Polónia. São estes ucranianos ex-austro-húngaros e ex-polacos, que tomaram o poder em Kiev.
Hitler e Estaline desejavam adiar o que parecia ser o confronto inevitável, que veio a ocorrer mesmo, e o confronto Hitler-Estaline foi o maior confronto militar desde que a Humanidade existe.
Antes do confronto mortal, Hitler e Estaline assinaram o Pacto Germano-Soviético de 1939, que deu origem a mais uma divisão da Polónia. Foi este pacto Hitler-Estaline de 1939, que juntou os ucranianos da Galícia (até 1918 no Império Austro-Húngaro e depois na Polónia até 1939) aos ucranianos de língua russa. Os ucranianos da Galícia são católicos por influência austríaca e polaca e os ucranianos de língua russa são cristãos ortodoxos.
Mas, convêm não esquecer que com Estaline a Crimeia pertencia RSS da Rússia, e só com o golpe de Estado do ucraniano Nikita Krutchov, de 1954, passou a pertencer à RSS da Ucrânia.
Esta mistura de ucranianos austro-húngaros com ucranianos de língua russa é que deu origem à Ucrânia actual, um país esquisito. Ora, o IV Reich alemão, chamado União Europeia, e o Reich dos Estados Unidos apoiam a dominação dos ucranianos austro-húngaros/polacos (da Galícia) sobre os ucranianos cristãos ortodoxos de língua russa.
É esta a situação actual, o regresso do Império Austro-Húngaro em termos culturais, para dominar a Ucrânia cristã ortodoxa de língua russa. Uma das primeiras medidas dos fascistas da Galícia austríaca foi proibir a língua russa.

Nem a União Europeia nem o Reich americano nem a «esquerda caviar» ficam bem na fotografia, mas gostam de estar lá, ao lado dos fascistas da antiga Galícia austríaca.

Sem comentários:

Enviar um comentário