sexta-feira, 14 de março de 2014

AMNISTIA INTERNACIONAL – DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS


Não há nenhum Estado que respeite os Direitos Humanos, no Planeta Terra, em 2014.

Todos os Estados, em 2014, violam os Direitos Humanos.
Todos os Estados da União Europeia e da NATO, incluindo a Suécia e a Noruega dos prémios Nobel, estão comprometidos com selváticas violações dos Direitos Humanos, como rapto, prisões arbitrárias e tortura, incluindo tortura até à morte. O presidente da República dos Estados Unidos condena à morte sem julgamento e manda realizar as respectivas execuções, com a cumplicidade da NATO e da União Europeia.
Conheço uma pessoa, que hoje, numa cidade portuguesa foi interpelada por um grupo da Amnistia Internacional. Confrontou uma mulher jovem desse grupo com a necessidade da  Amnistia Internacional portuguesa dar prioridade às violações dos Direitos Humanos pelo Estado português e pelas organizações a que este pertence, que são a União Europeia e a NATO, e com o facto de ser da máxima gravidade a selvajaria da Rede de raptos, prisões arbitrárias e tortura incluindo tortura até à morte Guantánamo e Sucursais.

A resposta foi esta: «Na China uma pessoa que denunciar violações de Direitos Humanos vai a julgamento e nesse julgamento é condenada à morte e depois é executada». É evidente que essa pessoa não acreditou no que foi dito da China e aquela resposta faz pensar muita gente que a Amnistia Internacional e outras organizações ditas «defensoras dos Direitos Humanos» são influenciadas e até financiadas pela CIA e por outros serviços secretos ocidentais.

Sem comentários:

Enviar um comentário