sábado, 8 de fevereiro de 2014

O EQULÍBRIO DE FORÇAS


Sempre fui contra o domínio unilateral do Mundo por uma potência, como apregoavam os neoconservadores norte-americanos durante a presidência de George W Bush, que defendiam um Reich dos Estados Unidos para mil anos.
A aliança entre a Rússia e a China veio pôr fim ao Reich dos Estados Unidos que era para mil anos, mas deixou de o ser.

Antes da I Guerra Mundial, em 1913, o equilíbrio de forças na Europa era estabelecido por 4 impérios muito parecidos. De um lado o Império Britânico e o Império Francês e do outro lado o II Império Alemão (II Reich) e o Império Austro-Húngaro. Os 4 impérios eram cristãos. Curiosamente no Império Francês predominava o catolicismo e no Império Britânico predominava o protestantismo; do outro lado no II Império Alemão predominava o protestantismo e no Império Austro-Húngaro predominava o catolicismo. Os 4 impérios defendiam e praticavam o capitalismo e o colonialismo. Quer isto dizer que o equilíbrio de forças se pode basear em interesses e não em ideologias.


Tanto os Estados Unidos como a Rússia, em 2014, praticam e defendem o capitalismo, o parlamentarismo e as eleições livres e periódicas, e pregam os Direitos Humanos para os outros, não para eles.


Os Estados Unidos até são mais ostensivos a mostrarem o desprezo pelos Direitos Humanos ao praticarem a tortura, incluindo a tortura até à morte em Guantánamo e nas respectivas sucursais, umas conhecidas e outras secretas.


O capitalismo da Rússia é único no Mundo, porque é um capitalismo feudal, resultante da implosão do chamado socialismo soviético produto do regime, dito comunista, fundado em Outubro de 1917 por Lenine.


O capitalismo feudal da Rússia é produto da implosão descontrolada do regime marxista-leninista-estalinista. Esta implosão foi descontrolada e influenciada pela indigência intelectual de Gorbatchov, pela desonestidade objectiva e pela estupidez boçal de Ieltsin, e pela influência da Igreja Cristã Ortodoxa.


No regime marxista-leninista-estalinista os privilegiados eram usufrutuários, mas não proprietários. Os dirigentes políticos eram usufrutuários dos palácios mas não eram deles proprietários.
Durante o governo de Lenine havia capital privado, acumulado na chamada NEP (Nova Política Económica – a ordem das letras é em inglês) que incluía empresas estatais (estratégicas) e empresas privadas. Estaline é que implantou à letra a política económica proposta por Marx, com a estatização de quase toda a economia e com as cooperativas como alternativa à estatização.


A acumulação do capital pela actual alta burguesia da Rússia tem origem, na prática, na doação de bens estatais, ora a doação de bens era típica do feudalismo, de onde se deduz o nome de capitalismo-feudal.


A China tem uma estrutura política herdada de uma revolução assente na ideologia marxista-leninista. No entanto, o regime económico que vigora na China é o capitalismo, isto é, a chamada economia de mercado.


O equilíbrio de forças internacional, actualmente, resulta de divergências de interesses, essencialmente, tal como acontecia na Europa em 1913, como atrás ficou referido.

Sem comentários:

Enviar um comentário