quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

DA MARCHA SOBRE ROMA DE MUSSOLINI À MARCHA SOBRE KIEV DO «PARTIDO POPULAR EUROPEU»


O «Partido Popular Europeu» de Ângela Merkel já matou na Grécia e em Portugal. Governa a Grécia e Portugal através da Troika e dos seus lacaios internos. Destruiu a economia da Grécia e de Portugal.




O «Partido Popular Europeu» é um partido de ladrões, torturadores e assassinos. Organizou a marcha sobre Kiev à maneira de Mussolini. O «Partido Popular Europeu» converteu-se aos métodos de Mussolini. O «Partido Popular Eurtopeu» pôs Kiev a ferro e fogo.


«Apesar de “mudança de regime” ser um termo demasiado forte para o que a Alemanha anda à procura, não é inteiramente descabido. A União Democrata-Cristã (CDU) alemã, de centro-direita, e o Partido Popular Europeu (PPE), associação de partidos conservadores europeus, escolheram Klitschko como seu representante de facto, na Ucrânia. A sua função é unir e orientar a oposição – na rua, no parlamento e, por fim, na eleição presidencial de 2015. “Klitschko é o nosso homem”, dizem os políticos veteranos do PPE. “Tem uma ideologia europeia clara.” E Merkel ainda tem contas para acertar com Putin.

Grande parte das movimentações acontece nos bastidores. O partido de Klitschko, a Aliança Democrática Ucraniana para a Reforma, formada em 2010, tornou-se recentemente membro observador do PPE. Nas sedes do PPE em Bruxelas e Budapeste, estão a ser formadas pessoas da Aliança ucraniana para o trabalho parlamentar e recebem apoio para o desenvolvimento de uma estrutura partidária a nível nacional. A Fundação Konrad Adenauer, estreitamente ligada à CDU, também desempenha um papel importante. Klitschko pediu expressamente aos assessores de Merkel para fornecerem ajuda por intermédio da fundação.


Mas o ponto fulcral da iniciativa é o próprio Klitschko. Tem-se reunido com Ronald Pofalla, chefe de equipa de Merkel, que há anos vem estabelecendo laços com membros da oposição na Europa do Leste.» (In «Presseurop»)

Sem comentários:

Enviar um comentário