sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

A TRANSFERÊNCIA DE RIQUEZA DO TRABALHO PARA O CAPITAL PELA TROIKA E SEUS ALIADOS



O IRC diminuiu, fazendo-se sentir a diminuição com mais intensidade nas grandes empresas.
O APARTHEID FISCAL fez com que o governo fosse buscar aos reformados o dinheiro que deu ao patronato.

Em Portugal a «reforma do Estado» é transferir dinheiro dos assalariados para os capitalistas. Os funcionários públicos perdem rendimentos e esse dinheiro vai para pagar o desfalque do BPN de 7 mil milhões de euros.
155 milhões de euros vão ser dados, a fundo perdido, a colégios privados, dos amigalhaços do governo, só num ano, afinal há dinheiro. 1 100 milhões de euros foram entregues ao BANIF, falido por gestão incompetente.
O aumento do horário de trabalho com a supressão de alguns feriados significou o aumento da jornada de trabalho, sem aumento salarial, a hora de trabalho ficou mais barata para o patronato.
O empobrecimento da maioria da população foi o objectivo dos traidores que governam Portugal, para darem dinheiro aos capitalistas nacionais e estrangeiros.

Vive-se em Portugal uma época opressiva para os assalariados no activo e para os reformados. A gestão das expectativas é esperar por mais empobrecimento, para a grande maioria da população, enquanto que a minoria da alta burguesia enriquece cada vez mais.

Sem comentários:

Enviar um comentário