terça-feira, 7 de janeiro de 2014

A INSISTÊNCIA NO APARTHEID FISCAL PELOS TRAIDORES DO GOVERNO PORTUGUÊS


Segundo a Constituição de Portugal, em 2013, os impostos são sobre o rendimento, para rendimentos iguais impostos iguais.
Estes traidores irrevogáveis mentirosos, estúpidos e perigosos, e todo o rebanho de deputados e de deputados que o sustenta, querem insistir no apartheid fiscal.
Depois de darem mais de 200 milhões de euros ao patronato, querem ir buscar esse dinheiro aos reformados.

É inadmissível que estes traidores sádicos, mentirosos, hipócritas e perigosos possam fazer o que lhes apetece. O Tribunal Constitucional devia acabar com o apartheid fiscal. 


O CES é um imposto só para negros, enganei-me, só para reformados, é puro apartheid fiscal. Hipocritamente, a corja do governo e a corja do parlamento que lhe dá cobertura chama ao apartheid fiscal «Contribuição Especial de Solidariedade». Estas atrás referidas corjas orgulham-se de terem como programa o EMPOBRECIMENTO DA MAIORIA DOS PORTUGUESES. Reduzir os lucros aos grandes capitalistas nem pensar, antes pelo contrário, estão a transferir dinheiro das classes médias e das outras abaixo para alta burguesia, ostensivamente.


As rendas escandalosas dos capitalistas das PPPs, os 7 mil milhões de euros para pagar o desfalque do BPN, o dinheiro entregue ao BANIF falido por gestão incompetente (1 100 milhões de euros), o crime que é dar 155 milhões de euros a fundo perdido aos colégios privados dos amigalhaços num ano…

Os colégios privados ou se autofinaciavam ou deveriam ir à falência, o Estado não devia dar um cêntimo aos colégios privados. Mas que empreendedorismo é este, que é ter colégios privados financiados pelo Estado????!!!! Mas estes neoliberais acham que o Estado não deve servir para o bem comum, mas para dar dinheiro, a fundo perdido aos amigos, deve financiar não as escolas públicas, mas sustentar, escandalosamente, as privadas!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário