segunda-feira, 11 de novembro de 2013

REGRESSO À BARBÁRIE DO TEMPO DA INQUISIÇÃO EM BRAGA - HOMENAGEM PERENE AO TERRORISMO DA AL-QAEDA CATÓLICA

O cónego Melo terrorista membro da chamada Al-Qaeda católica, responsável directo pelo assassinato com uma bomba militar do padre Maximino, num atentado terrorista semelhante aos da Al-Qaeda islâmica, é apoaiado pelos partidos do «arco da governação», nomeadamente pelo PS. A bomba militar foi colocada no automóvel do padre Maximino, por ordem do cónego Melo, e foi detonada, por controlo remoto, tendo matado ainda uma mulher que seguia no mesmo automóvel.
Para António José Seguro a vida humana não vale nada e o fundamentalismo católico terrorista mortífero não só não deve ser criticado, como é merecedor de uma estátua.

Esperemos que o PS de Lisboa proponha uma estátua ao católico espanhol Torquemada no local onde a Inquisição cometia os seus selváticos crimes, qualitativamente piores que os dos nazis, porque queimavam vivos os judeus (e as bruxas), enquanto que os nazis os matavam em câmaras de gás.




«A estátua do Cónego Melo já não será removida da Rotunda do Cemitério de Braga, por decisão maioritária da Câmara de Braga, que esta manhã rejeitou a proposta da CDU.O Executivo da Câmara Municipal de Braga rejeitou esta manhã uma proposta da CDU no sentido de remover a estátua do Cónego Melo, da Rotunda do Cemitério de Braga, já que apenas dois vereadores – entre onze eleitos – votaram no sentido de retirar a estátua.
Seis vereadores manifestaram-se hoje em favor daquela estátua: os quatro eleitos do Partido Socialista e os dois vereadores do CDS/PP. Houve três abstenções e dois votos contra a manutenção da polémica estátua.
O novo presidente da Câmara de Braga – Ricardo Rio – absteve-se, tendo sido seguido no mesmo sentido pelo vice-presidente, Firmino Marques, assim como pela vereadora Sameiro Araújo, da maioria. Os dois vereadores do CDS, Altino Bessa e Lídia Dias, votaram contra a moção, manifestando-se a favor da estátua ao famoso vigário-geral da Arquidiocese de Braga, falecido no ano de 2008, em Fátima.
O Partido Socialista votou em bloco contra a remoção de estátua, mas para isso teve que ser substituída a vereadora independente Luísa Cruz, professora do ensino secundário e que se previa pudesse votar a favor da retirada da estátua do Cónego Eduardo de Melo Peixoto. Luísa Cruz foi substituída por outro candidato a vereador do PS, Carlos Dias, também um professor do ensino secundário, que é ainda treinador da equipa feminina de voleibol do Sporting Clube de Braga. Além de Carlos Dias votaram contra a proposta da CDU, todos os outros três vereadores do Partido Socialista: Vítor de Sousa, Hugo Pires e Palmira Maciel. Estes três vereadores do PS já tinham aprovado, em Maio, a cedência de um local público, no caso a Rotunda do Cemitério, para a colocação da estátua, sob a presidência de Mesquita Machado, que não concorreu por atingir o limite dos mandatos.
Votaram a favor da remoção da estátua, para além do seu proponente, o único vereador da CDU, Carlos Almeida, o vereador Miguel Bandeira, eleito na lista vencedora, Juntos por Braga (PSD/CDS-PP/PPM). Miguel Bandeira, sem filiação partidária, já presidiu à ASPA (Associação para a Defesa, o Estudo e a Divulgação do Património Cultural e Natural) de Braga e é o vereador com os pelouros da Regeneração Urbana, Património, Ligação à Universidade, Planeamento, Ordenamento e Urbanismo, na Câmara de Braga.
Os responsáveis pelas três bancadas no Executivo – PSD/CDS-PP/PPM, PS e CDU – Ricardo Rio, Vítor de Sousa e Carlos Almeida, respectivamente, estão agora a dar conta das razões do sentido de voto, através de conferências de imprensa na Câmara de Braga.» (In jornal «Sol» net)

O terrorista homicida Eduardo Melo Peixoto foi condecorado como Comendador da Ordem de Mérito, em 28/6/1988, por Mário Soares. . .

Sem comentários:

Enviar um comentário