quinta-feira, 3 de outubro de 2013

DA DUPLA HITLER-PÉTAIN À DUPLA ÂNGELA MERKEL-HOLLANDE


Paris obedecia a Berlim, Paris obedece a Berlim.
É curioso que a dupla Hitler-Pétain impôs medidas de austeridade e a dupla Ângela Merkel-Hollande está a impor medidas de austeridade. A austeridade da dupla Hitler-Pétain acabou mesmo mal. A austeridade da dupla Ângela Merkel-Hollande vai também acabar muito mal.
O III Reich era para durar mil anos, segundo Hitler. Para os defensores da moeda euro, a moeda euro vai durar para sempre, graças à austeridade. Quantos anos durará a «eternidade» da moeda euro?

A Zona Euro ou muda a arquitectura legislativa que a rege e deixa de ser uma zona de punição do chicote de Berlim, ou continuará a ser uma zona perigosa em que uns países da moeda euro enriquecem à custa dos outros com a mesma moeda, onde a alta burguesia enriquece ainda mais à custa das outas classes sociais, tudo isto temporariamente, porque o interesse em ser chicoteado por Berlim é masoquismo e o masoquismo cura-se com medidas corajosas, que já começam a ser discutidas.


«Passados cinco anos sobre a falência do Lehman Brothers, a maneira de tratar da crise por via de austeridade pura e dura, primeiro sugerida no G20, depois posta em prática pelos países sofredores, trazidos à rédea curta por Conselho Europeu, Comissão, Banco Central Europeu e FMI, descrita há dias como um triunfo pelo ministro das Finanças alemão que entende estarmos a sair da crise, é cada vez mais posta em causa por gente que sabe o que diz. As dívidas nacionais aumentam, o desemprego não baixa, o crescimento é fraquíssimo ou inexistente, a Europa vai perdendo, lá fora, a influência que teve no mundo e, cá dentro, a solidariedade que apanhando uma boa maré política e contra todas as tradições da história fora construindo desde que decidira gerir em comum carvão e aço franceses e alemães.» (José Cutileiro in «Jornal de Negócios», cit. no blog «Entre as brumas da memória»)


Sem comentários:

Enviar um comentário