quarta-feira, 3 de julho de 2013

PORTUGAL, FRANÇA, ITÁLIA, ESPANHA E ÁUSTRIA TRÊS PAÍSES GOVERNADOS POR TRAIDORES ÀS ORDENS DOS TORTURADORES DE GUANTÁNAMO DA CIA, VIOLARAM O DIREITO INTERNACIONAL, CONTRA A BOLÍVIA.

«A Bolívia acusou Portugal, França, Itália e Espanha de terem colocado em risco a vida do Presidente Evo Morales, ao recusarem que os seus territórios fossem sobrevoados pelo avião que levava o chefe de Estado de regresso ao país. Após uma noite de impasse, o aparelho levantou voo ao final da manhã.» (In jornal «Público» net)

Pedro Passos Coelho, Rajoy, Enrico Letta (este se não é da Sicília parece que é) e François Hollande, quatro criminosos de delito comum, no poder em quatro países da Zona Euro.


«Morales regressava na noite de terça-feira (2) de Moscou, capital russa, onde havia participado de uma reunião dos países produtores de gás natural, para La Paz, na Bolívia. De acordo com autoridades bolivianas, houve ordens de proibição à aeronave de Morales nos territórios da França, Itália e de Portugal. Após negativa de passagem por estes países, a rota do voo presidencial teve então de ser desviada. O avião fez um pouso forçado em Viena, na Áustria, onde Morales ficou "retido" por mais de 13 horas. Na manhã desta quarta-feira (3), Morales conseguiu embarcar para La Paz.
Na capital austríaca, o avião não foi revistado, segundo o porta-voz do governo, por não haver razão legal para a ação. Mas segundo Morales, o embaixador espanhol em Viena, Alberto Carnero, esteve no aeroporto e pediu que ele tomasse o café da manhã dentro do avião. “Para ver o avião e, no fundo, querer controlá-lo. Não sou nenhum criminoso para que controlem meu avião", afirmou o presidente boliviano, que negou "qualquer conduta irregular". (…)"Evo Morales foi sequestrado na Europa"

Para o governo da Bolívia,  ao ser retido na Europa, o presidente "foi sequestrado pelo imperialismo". O vice-presidente boliviano e presidente interino, Álvaro García Linera, afirmou que "não pode haver impunidade com esta tentativa de colonialismo" e que Morales "não é nenhum delinquente"». (In revista «Época» net)


«Quão subserviente, lacaio, capacho, invertebrado, molusco, nojento, indigno, cobarde, vendido... entre outras coisas (mas essas não posso provar)... tem que ser um “governo”, para estar disposto a fazer a vergonhosa figura que fez o “governo” português, de cócoras e de calças na mão perante o poder imperial dos EUA, nesta estória lamentável envolvendo o avião oficial do Presidente da República da Bolívia?» (Samuel in blog «Cantigueiro»)

Sem comentários:

Enviar um comentário