terça-feira, 4 de junho de 2013

PRÓS E CONTRAS DA RTP1 DE 3 DE JUNHO DE 2103 («CANSADOS DE TUDO») - II


Recordo que este programa começa perto das 23 horas (às 22h e 52 min) para ir pela madrugada dentro, para diminuir, drasticamente, a audiência.
Entre as 22h e as 22 h e 52 min a RTP passou um programa pouco interessante, aborrecido, para obrigar o programa Prós e Contras a ir pela madrugada dentro. O programa Prós e Contras podia começar pelas 22 horas. O programa Prós e Contras, muitas vezes, excluía dos Contras toda a Esquerda próxima do PCP ou do Bloco de Esquerda, pelo que era mais um programa, essencialmente, dos partidos do poder que são o PSD e o CDS e o PS. A magnitude da crise em que estamos, que se o governo PSD-CDS-Troika-Cavaco não cair em 2013, começará verdadeiramente, em Janeiro, Fevereiro ou Março de 2014, levou o programa Prós e Contras a convidar pessoas à esquerda do PS e até a fazer o debate tabu sobre a saída de Portugal da moeda euro.
Ora, ao aumentar o interesse deste programa, se aparecem nele algumas correntes de pensamento à Esquerda do PS, o melhor é ‘queimá-lo’, lançando-o para a madrugada.

Eu até gosto de futebol bem jogado se as arbitragens forem honestas, mas acho altamente escandaloso o tempo de antena do chamado futebol falado nas televisões, é ainda pior que escandaloso, é repugnante o massacre, em horário nobre, isto é, às 22horas, ou 22horas e 30 minutos, de programas de futebol falado, abaixo da indigência intelectual, e eticamente abaixo da desonestidade corrente e duma mesquinhez monumental.

A seguir apresento a explicação do PSD Pacheco Pereira sobre o discurso político mentiroso do governo PSD-CDS-Troika-Cavaco e do próprio Cavaco Silva.

«"1. Escolher designações habilidosas para realidades negativas.
Passarei pela rama esta muito significativa manipulação, porque já falei dela várias vezes. A regra propagandística é que quem manda nas palavras, manda nas cabeças. Por isso, o confronto fez-se pelo ‘doubletalk’. O exemplo típico é passar a falar de "poupanças" em vez de "cortes", e o mais ofensivo da decência é chamar "Plano de Requalificação da Administração Pública" a um plano de despedimentos, puro e simples, sem disfarces. O comunicado do Conselho de Estado reproduz também este tipo de linguagem orwelliana.» (Pacheco Pereira, citado no blog «Arrastão»)


O dramaturgo e encenador Tiago Rodrigues falou do neoliberalismo (não usou o conceito) em que há uma corrupção legal, com uma imoralidade transparente nas negociatas entre os políticos do PSD, PS e CDS e a alta burguesia. Exemplifico eu os casos do PSD Ferreira do Amaral e a Lusoponte; do PS Jorge Coelho e a Mota-Engil; do PSD Miguel Frasquilho e o Banco Espírito Santo; dos traidores germanófilos Passos Coelho, Vítor Gaspar e Cavaco Silva, que obedecem ao governo da Alemanha, contra os interesses da maioria dos portugueses.

Sem comentários:

Enviar um comentário