terça-feira, 21 de maio de 2013

PRÓS E CONTRAS DA RTP1 DE 20 DE MAIO DE 2013


Um dos aspectos basilares da Direita é recusar a dicotomia Esquerda – Direita, isto é, quer excluir, pela base a Esquerda, e limitar o debate a diversas correntes da Direita. A Esquerda para o Tarrafal, é esta a ideia base da Direita portuguesa, jovem ou não.
Deus é de Direita, também me pareceu, porque o professor da Universidade Católica, é um elemento da Direita.
A mulher jovem que recusa a dicotomia Esquerda – Direita é de Direita, como eu referi atrás, exclui-se a Esquerda, como no programa proto-fascista «Quadratura do Círculo», que proíbe, em absoluto, o pensamento de Esquerda. O representante do PS, que lá costuma estar, nada tem a ver com a Esquerda real. A «Quadratura do Círculo» é a versão actual das «Conversas em Família» de Marcelo Caetano.
A «Internacional Socialista» já não é de Esquerda, já não representa a Esquerda real, aderiu ao pensamento típico da Direita que é o neoliberalismo.
As classes trabalhadoras tiveram a sua grande oportunidade no século XX, com o marxismo-leninismo. A única revolução da História da Humanidade, original, feita em nome das classes trabalhadoras, foi a Revolução Russa de Outubro (Novembro no calendário gregoriano e Outubro no calendário juliano) de 1917, que, na prática, foi um grande desastre. O capitalismo feudal que vigora, actualmente, na Rússia foi produzido pela Revolução Russa de Outubro de 1917.
O fulcro dos erros do marxismo-leninismo é o conceito errado de Marx, Engels e de Lenine de «ditadura do proletariado».
É urgente para a Esquerda desmistificar o conceito errado de «ditadura do proletariado» e excluí-lo, definitivamente, da Esquerda.
Por outro lado, a nacionalização total das empresas proposta por Marx também é um grande erro.
A Esquerda tem que criar ideias novas e não agarrar-se às ideias erradas do marxismo-leninismo.
Por outro lado, a «Internacional Socialista» virou de tal maneira à Direita, que ela própria é um dos instrumentos políticos da Direita internacional.


Bem, já me esquecia de uma coisa, e os jovens empreendedores que passam fome? Empreendem a fome. Mas empreendem a fome porquê? Têm ideias viáveis de empreendedorismo e empreendem a fome? Sim, porque para passar da ideia empreendedora à empresa é preciso Capital.
O rapaz de 15 anos, que teve uma ideia empreendedora, porque os pais não ganham o salário mínimo, teve acesso ao Capital necessário. 

Há jovens universitários que desistem dos cursos, porque passam fome…

Sem comentários:

Enviar um comentário