domingo, 12 de maio de 2013

PORTUGAL – POLÍTICA E FUTEBOL


Pessoalmente, acho que o melhor programa de televisão em Portugal é o de José Sócrates na RTP 1, aos domingos, entre as 21 horas e as 21h e 30 min, a seguir o de Francisco Louçã na SIC Notícias, entre as 22h e 2min e as 22h h e 30 min, às sextas-feiras, e em terceiro lugar o de Manuela Ferreira Leite e a seguir o de Bagão Félix.
Os comentadores «independentes» pró governo PSD-CDS-Troika são insuportáveis e revelam uma crueldade, uma desumanidade, ao nível das SS alemãs de Auschwitz.
Francisco Louçã perde para José Sócrates, porque comete erros muito graves de comunicação. Num programa, disse que um pequeno grupo de famílias mandam em Portugal há 140 anos, mas não disse o nome de uma única dessas famílias – as duas principais tem sido a família Melo e a família Champalimaud.
São totalmente insuportáveis Marcelo Rebelo de Sousa e Marques Mendes, ambos mostrando uma crueldade e uma hipocrisia insuportáveis.
Perante uma realidade política altamente cruel, em que o falso «BCE» já lucrou 6 mil milhões de euros com o negócio da destruição da economia e da sociedade de Portugal, virei-me para o futebol.
A três jornadas do fim do campeonato de futebol o Benfica tinha 4 pontos de avanço sobre o Porto e jogou tacticamente e individualmente muito mal contra o 5º classificado, o Estoril, e perdeu, aí, a possibilidade de ser campeão. Numa final contra o 5º classificado, em Lisboa, no estádio da Luz, que lhe daria o título de campeão, quase de certeza, se ganhasse, não mostrou competência táctica nem individual para vencer o 5º classificado. Perdeu o campeonato de 2012 – 2013 uma vez.
Ontem o Benfica foi jogar contra o Porto, e perdeu o mesmo campeonato pela segunda vez.
O Benfica, tal como o Braga no jogo no Porto, entrou em pânico só por jogar contra o Porto, que tem uma equipa muito limitada a nível europeu.
O pânico foi do treinador do Benfica, Jorge Jesus, que não jogou, em momento algum, para ganhar o jogo, jogando apenas com um avançado.
Mesmo assim, o Benfica começou a vencer por 1 – 0, com um golo do brasileiro Lima, que o acentuado racismo de Paulo Bento (e da actual direcção da Federação Portuguesa de Futebol), não quer na selecção de Portugal, nas mesmas condições do brasileiro Deco. Paulo Bento e a direcção da FPF preferem que Portugal não fique apurado para o Mundial do Brasil, a jogar com Lima (um ponta de lança muito melhor do que os que costumam jogar), repito, nas mesmas condições do decisivo brasileiro Deco.
Se antes do jogo o treinador do Benfica já estava em pânico, a ganhar por 1-0 ainda se assustou mais, e passou esse medo aos jogadores. Nada melhor, quando se tem medo de estar a ganhar por 1 - 0, do que marcar um golo na própria baliza. Máxi Pereira marcou um golo na baliza do Benfica, (ao interceptar muito mal um remate de Varela) ainda coma a ajuda do guarda-redes Artur, altamente desconcentrado, e lento.
Na segunda parte o Benfica nunca tentou ganhar o jogo, nunca jogou com dois avançados.
A incompetência do Porto permitiu que um Benfica medroso e incompetente, só sofresse um golo no último minuto da segunda parte, por Kelvin, que finalizou um passe de Liedson.
A equipa de arbitragem foi abaixo de péssima, porque teve um erro gravíssimo, que podia ter decidido o jogo e o próprio campeonato 2012 – 2013. Permitiu que um jogador do Porto, James Rodríguez, em, claríssimo, «offside» rematasse à baliza do Benfica. Este erro gravíssimo não influenciou o resultado, porque o jogador do Porto não aproveitou, e rematou contra o poste. Os comentadores de futebol são insuportáveis, os menos insuportáveis são os da SIC Notícias, que consideraram «excelente» uma equipa de arbitragem que deu uma clara oportunidade ao Porto de marcar um golo em «offside», mas que o Porto não aproveitou. Não aceito a excelência da incompetência. Deixar uma equipa tentar marcar um golo em claro «offside» é a parte grave da incompetência da arbitragem. Este erro grosseiríssimo da arbitragem não foi aproveitado, porque o remate foi ao poste.
Os comentadores que eu ouvi insinuaram, que no último jogo do campeonato, o Paços de Ferreira, porque já tem o terceiro lugar garantido, deve deixar o Porto ganhar o último jogo.
Eu penso que o Paços de Ferreira deve dar tudo por tudo, legalmente, para não perder o jogo, para haver verdade desportiva.
No entanto, penso que o Benfica não merece ser campeão, porque teve duas finais, para ser campeão, bastava sucesso numa e falhou nas duas, falhou na final contra o Estoril e falhou na final contra o Porto. Agora o Benfica está nas mãos do Paços de Ferreira e nada pode fazer. Ou o Paços de Ferreira faz pelo Benfica, o que o Benfica não fez por si próprio, ou o Porto é campeão.
Agora, o Benfica tem a final da Liga Europa com o Chelsea, que eu acho muito mais importante que o campeonato de Portugal, em termos desportivos. Em termos práticos, ficar em primeiro ou segundo lugar no campeonato de Portugal 2012 - 2013, a nível internacional, é a mesma coisa, porque ambos os lugares dão acesso directo à fase de grupos da Liga dos Campeões. 

Sem comentários:

Enviar um comentário