sábado, 25 de maio de 2013

FINAL DA LIGA DOS CAMPEÕES DE FUTEBOL DA EUROPA: BAYERN DE MUNIQUE 2 – BORUSSIA DORTMUND 1


Esta final da Liga dos Campeões da Europa entre duas equipas alemãs foi ganha pelo Bayern de Munique (Fußball-Club Bayern München), por 2 – 1, contra o Borussia Dortmund (Ballspiel-Verein Borussia 1909 e. V. Dortmund), com uma ajuda decisiva do árbitro. 
O futebol da UEFA, assume-se, «urbi et orbi», como um jogo dominado pela corrupção.
Na primeira parte o jogador do Bayern de Munique Ribéry agrediu o adversário Lewandowski e não foi penalizado, como mandam as regras.
O primeiro golo foi marcado para o Bayern de Munique por Mandzukic, já na segunda parte, ao minuto 60.
No minuto 66 o jogador do Bayern, Dante, que já tinha um cartão amarelo provocou um penálti assinalado, e não viu o segundo cartão amarelo como mandam as leis do jogo, que implicaria a sua expulsão. Gundogan marcou para o Borussia Dortmund, ao minuto 68, na concretização do referido penálti, ficando, por isso, o marcador 1 – 1.
Robben ao minuto 89 deu a vitória por 2 -1 ao Bayern de Munique, porque até ao final do jogo o Borussia Dortmund não conseguiu marcar.
Nas meias-finais, o Bayern de Munique beneficiou de três golos ilegais, no primeiro jogo contra o Barcelona. No segundo jogo venceu em Barcelona dentro das leis do jogo, por 3 – 0. O Barcelona era uma equipa que costumava beneficiar de arbitragens corruptas, como nas meias-finais da Liga dos Campeões, em 2009, no jogo Chelsea 1 – Barcelona 1, em que foram ‘perdoados’ quatro penáltis contra o Barcelona.
O Borussia Dortmund, por sua vez, eliminou o Málaga nos quartos-de-final com dois golos ilegais, sendo o mais chocante o último, no minuto 93, num claríssimo «offside», que decidiu a eliminatória.

Em última análise, a verdade desportiva parece não importar muito nas provas da UEFA, sendo a corrupção nas arbitragens um aspecto fundamental e decisivo.

Sem comentários:

Enviar um comentário