quarta-feira, 22 de maio de 2013

CRÍTICA À CRÍTICA


No programa «O Eixo do Mal» da SIC Notícias ouvi a amiga dos neoconservadores Clara Ferreira Alves dizer uma barbaridade repugnante de ignorância ou má-fé. Disse que a mais antiga «Democracia» da Europa era a «Democracia Inglesa», em que os donos dos escravos se deliciavam a matar à pancada os escravos. Isto tem a ver com a sua ligação ao clube de pensadores neoconservadores que se deliciavam a torturar até à morte, quem lhes apetecia, à boa maneira nazi e que tratavam os palestinianos como os alemães nazis tratavam os judeus.
Nesta lógica para CFA a segunda mais antiga «Democracia» da chamada Civilização Ocidental é a «Democracia» dos Estados Unidos, em que os donos dos escravos matavam os escravos à pancada.
Ora a tal «Democracia Inglesa» impôs uma terrível Ditadura em Portugal, nos começos do século XIX. O general Gomes Freire de Andrade tentou libertar Portugal da Ditadura inglesa e foi enforcado. Luís de Sttau Monteiro no livro «Felizmente à Luar» mostra a barbárie inglesa sobre o enforcamento do general Gomes Freire de Andrade e dos seus colaboradores.
A Contra-Revolução absolutista-feudal que esmagou a Europa a seguir à batalha de Waterloo foi comandada pela «Democracia Inglesa» e pela Áustria.
CFA chama «Democracia» à Barbárie liberal britânica, cujo Parlamento cometeu crimes só comparáveis ao nazismo alemão.
A Democracia Contemporânea é estruturada pelos iluministas do século XVIII, como J-J Rousseau em «O Contrato Social» em que defende um novo conceito de Democracia sem escravatura conceito associado aos Direitos Humanos, a Democracia Contemporânea, contra o conceito grego de Democracia esclavagista e contra o Parlamentarismo Inglês também esclavagista, e que defende a República contra a Monarquia.
Uma das causas da crise em Portugal é o embrutecimento da classe média portuguesa, porque lê os dois jornais da Direita mais falsos que há, que são o «Expresso» e o «Público». Essa classe média que lê, regularmente, esses dois pasquins de propaganda da Direita não quer saber a verdade dos factos.

No último Conselho de Estado, de 20 de Maio de 2012 o assunto principal foi a demissão do governo de Passos Coelho, facto, proibido de ser noticiado pela Censura do pasquim «Expresso» e do pasquim «Público», supostamente de uma Direita mais inteligente. Mas não, a classe média qua lê o «Expresso» e o «Público», regularmente, gosta de ser enganada, já não suporta a verdade dos factos.

Sem comentários:

Enviar um comentário