quarta-feira, 8 de maio de 2013

COSTA GRAVAS E O FILME CAPITAL


O filme de Costa Graves sobre o Capital no século XXI é interessante, mas é demasiado simplista e excessivamente moralista.
No entanto, um aspecto fulcral fica bem evidenciado, que é a moral da alta burguesia financeira do século XXI. A alta burguesia do século XXI é absolutamente gananciosa, absolutamente cruel, absolutamente indiferente ao mal que faz às pessoas. O filme mostra que uma escola de ganância, de crueldade, de desprezo absoluto pelo sofrimento em terceiros que o lucro dos grandes burgueses provoca é o banco norte-americano Goldman Sachs.
Pessoalmente, acho que a moral das altas burguesias financeiras do século XXI é a mesma das SS que trabalhavam na fábrica de matar pessoas, homens mulheres e crianças de todas as idades, que os alemães construíram em Auschwitz, é o mal absoluto, é fazerem o que lhes apetece, independente do sofrimento que causam a terceiros.
Uma cena moralista que reflecte uma Esquerda ultrapassada é quando a esposa do gestor arrivista diz que se ele for preso ficará à espera dele. Que grande amizade (?!!!) a de uma esposa que quer ver o marido na cadeia! Os amigos não querem ver os amigos na cadeia.

Aliás foi esse moralismo que desacreditou os antifascistas portugueses. Foram uns Cristos nas mãos da PIDE/DGS, mas não se vingaram. Não há nenhum Deus para castigar os torturadores da PIDE/DGS.


Sem comentários:

Enviar um comentário