sexta-feira, 24 de maio de 2013

CAVACO SILVA CLASSIFICADO DE PALHAÇO


O jornalista e escritor Miguel Sousa Tavares chamou a Cavaco Silva aquilo que ele é, um político desprestigiado e desprezado por milhões de portugueses. MST chamou-lhe palhaço.
Cavaco é um político sem prestígio que parece que só agora percebeu que é desprezado por milhões de portugueses.
E depois Cavaco ampliou a humilhação, que já é viral na Internet, ao queixar-se à PGR.

«Em comunicado, a PGR considera que “as expressões proferidas na entrevista [publicada nesta sexta-feira no Jornal de Negócios sob o título ‘Beppe Grillo? “Nós já temos um palhaço. Chama-se Cavaco Silva”’] são susceptíveis de integrar a prática do crime de ofensa à honra do Presidente da República”. Tal crime, previsto no Código Penal, é de natureza pública, daí que o Ministério Público tenha decidido instaurar um inquérito. (In jornal «Público» net)

Pessoalmente, estou à vontade para apoiar MST. Quando foi colocada a questão de plágio feito por MST no livro «Equador», comprei o livro «Cette nuit la liberté» de onde Miguel Sousa Tavares copiou frases inteiras para o livro «Equador». Dei-me ao trabalho de fotografar frases de «Cette nuit la liberté» que foram copiadas para o livro «Equador», que coloquei na Internet, nomeadamente através deste blog. Coloquei fotografias das frases de «Cette nuit la liberté» traduzidas/copiadas para o livro «Equador», que coloquei à disposição dos internautas e que estão no arquivo deste blog, basta pesquisar neste blog escrevendo no rectângulo da pesquisa  Miguel Sousa Tavares.




1 comentário:

  1. O senhor Miguel Sousa Tavares quer comer o contribuinte por parvo!
    .
    .
    --->>> Com um MINISTRO DAS FINANÇAS RIGOROSO não teria sido 'enfiado' ao contribuinte a nacionalização do BPN, a nacionalização de sistemas piramidais em ruptura acelerada, PPP's, SWAP's, etc...
    .
    -> Os lobbys que se consideram os donos da democracia - os 'cavadores de buracos' -, com os seus infiltrados em todo o lado (sim, em todo o lado!), isolam e atacam todo e qualquer ministro que queira ser rigoroso, e que não lhes dê abébias para andar a 'cavar buracos' sem fim à vista...
    - Obs. 1: Manuela Ferreira Leite (quando era ministra das finanças) quis impor algum rigor nas finanças públicas... consequência: os 'cavadores de buracos' puseram o país inteiro a cantarolar a cantiga «Há vida para além do deficit».
    - Obs 2: ao querer impor um certo rigor... o ministro das finanças Vítor Gaspar foi isolado (e atacado por todos os lados) pelos 'cavadores de buracos'.
    .
    .
    O CONTRIBUINTE TEM QUE SE DAR AO TRABALHO!!!
    -> São raros os ministros que possuem a capacidade de resistência do ministro Vítor Gaspar... leia-se: O CONTRIBUINTE TEM DE AJUDAR NO COMBATE AOS LOBBYS QUE SE CONSIDERAM OS DONOS DA DEMOCRACIA!
    -> Por um sistema menos permeável a lobbys, os políticos deverão ser obrigados a fazer uma gestão transparente para/perante cidadãos atentos... leia-se, temos de pensar em bons mecanismos de controlo... um exemplo: "O Direito ao Veto de quem paga" (vulgo contribuinte): ver blog 'fim-da-cidadania-infantil'.
    .
    .
    P.S.1.
    Um erro numa folha de cálculo - num estudo que defende a implementação de medidas de austeridade - foi considerado pela comunicação social (nota: é controlada pela superclasse: alta finança - capital global) como um erro gravíssimo de consequências bíblicas.
    Uma errata publicada posteriormente, que corrigiu alguns valores... mas que, todavia, no entanto, MANTEVE A CONCLUSÃO FINAL INTACTA... foi... ignorada pela pela comunicação social?!?!?!
    .
    P.S.2.
    Não é difícil de ver que as pensões de reforma são um «sistema piramidal» que carece de sustentabilidade... {são necessárias alterações}
    As pensões de reforma dos bancários estavam numa situação pior: eram um sistema piramidal em ruptura acelerada... resultado: o sistema piramidal dos bancários (em ruptura acelerada) foi 'enfiado' ao contribuinte...
    Obs: É preciso ter uma grande cara de pau: depois de ter 'enfiado' o sistema piramidal (em ruptura acelerada) ao contribuinte... o banqueiro Ricardo Salgado aparece com a conversa: «Corte nas reformas é terrível»!?!?!
    -> Nota: num Sistema Público discute-se "condições para a sustentabilidade"... pelo contrário, num Sistema Privado corre tudo às mil maravilhas... só que depois a 'coisa' abre falência de um dia para o outro (um exemplo: o caso Madoff).

    ResponderEliminar