terça-feira, 21 de maio de 2013

A INFÂMIA NO FUTEBOL PORTUGUÊS


«Rodolfo Reis criticou esta segunda-feira a postura de Jorge Jesus, depois do técnico do Benfica não ter dado os parabéns ao FC Porto pela conquista do título de campeão nacional.

“Jorge Jesus tem mau perder, foi deselegante para com uma pessoa que tinha sido elegante uma semana antes com ele, quando Vítor Pereira deu muito mérito ao trabalho de Jorge Jesus e à sua equipa. Digo deselegante para não dizer outras palavras com as quais poderia magoar o Jorge Jesus mais do que o que ele merece. Mostrou raiva contida por perder o título, quando ele, os seus jogadores e a sua direção estiveram mal ao festejar o título antes do tempo. Foi esta frustração toda que fez com que ele não tenha dado os parabéns ao Vítor Pereira e ao FC Porto”, afirmou Rodolfo Reis à Antena 1.

O antigo capitão portista defendeu ainda a continuidade de Vítor Pereira: “Conhecendo o presidente como conheço, os dois já sabem da decisão há muito tempo. Não foi por ganhar o campeonato que algo se vai mudar. Um treinador com o currículo do Vítor Pereira, que foi dois anos campeão, merece ficar à frente do FC Porto”.» (Rodolfo Reis in jornal «Record» net)

A infâmia domina o futebol português.
Rodolfo Reis sabe que se a Juventus jogasse em Portugal não teria sido condenada a perder dois títulos de campeão e também sabe que o dirigente da Juventus que foi julgado e condenado por corrupção a prisão efectiva, em Portugal nem sequer seria julgado.

Rodolfo Reis serviria, perfeitamente, para entrar no esquema da Juventus, que levou esta equipa a ser condenada a perder dois títulos de campeão e a ir para a segunda divisão.

Em Portugal a honestidade é Crime e a corrupção é festejada e muito apoiada.

O Porto, no jogo de Paços de Ferreira, beneficiou de um penálti, que nunca existiu, marcou um penálti ilegal, marcou o primeiro golo ilegalmente, e um jogador do Paços de Ferreira foi expulso, ilegalmente. Por ocorrências destas é que a Juventus foi condenada a perder dois campeonatos da Itália.




«Ex-director executivo da Juventus condenado a prisão

Luciano Moggi, antigo director executivo da Juventus, da Liga italiana de futebol, foi condenado em Nápoles a uma pena de prisão de cinco ano e quatro meses, no âmbito do processo conhecido por "Calciocaos".

O tribunal considerou que Moggi era o principal responsável por um esquema de manipulação de resultados de jogos, descoberto em 2006 e que hoje teve o seu desfecho, com a leitura da sentença que condenou a penas de prisão 16 dos 23 arguidos.

Antonio Giraudo, também antigo responsável da Juventus - e, tal como Moggi, já expulso do mundo do futebol -, foi punido com três anos de prisão.

Os ex-árbitros Paolo Bergamo (três anos e oito meses) e Innocenzo Mazzini (dois anos e dois meses) também foram punidos com penas significativas.

Aos restantes condenados foram aplicadas penas de prisão inferiores a dois anos.
A Juventus, que fora campeã de Itália em 2005 e 2006, perdeu os dois títulos por causa deste escândalo de manipulação de resultados. O castigo implicou também a descida à segunda divisão.» (In «DN» net)

Sem comentários:

Enviar um comentário