terça-feira, 30 de abril de 2013

OS ALEMÃES NÃO GOSTAM DE RECONHECER OS SEUS ERROS E GOSTAM DE OS ATRUBIR A OUTROS – O CASO BECKENBAUER


Franz Beckenbauer foi jogador de futebol e, actualmente, tem 67 anos e é presidente honorário do Bayern de Munique. Disse ao jornal «Bild» que na tentativa de superar o Bayern o Barcelona, depois de derrotado por 4-0 em Munique «vai usar todos os meios para consegui-lo, legais ou ilegais» no jogo de quarta-feira nem Camp Nou.
Beckenbauer esqueceu-se de que nessa vitória por 4-0 houve quatro graves irregularidades a favor do Bayern:

1)  Premeditadamente, o Bayern deitou uma quantidade «colossal» de água no relvado, para dificultar ao máximo o domínio da bola pelos jogadores do Barcelona. A UEFA, como instituição offshore em relação ao Estado de Direito, colaborou.
2)  O primeiro golo do Bayern foi, claramente, ilegal.
3)  O segundo golo do Bayern foi, claramente, ilegal.
4)  O terceiro golo do Bayern foi, claramente, ilegal.

Critiquei bastante as irregularidades no jogo de 2009 Chelsea 1 - Barcelona 1, também numa meia-final da Liga dos Campeões, em que a verdade desportiva foi espezinhada quando foram perdoados quatro penáltis, claros, contra o Barcelona.
Pelas mesmas razões que critiquei as ilegalidades que favoreceram o Barcelona, critico agora as ilegalidades que prejudicaram o Barcelona. O futebol da UEFA não deve ser a alternância da corrupção, ora a favor ora contra o Barcelona, deve ser, sempre, a verdade desportiva.

Sem comentários:

Enviar um comentário