terça-feira, 23 de abril de 2013

O SINDICALISMO ANTI-OPERÁRIO OU A UGT PORTUGUESA


É uma verdade inconveniente, mas a UGT é uma Central Sindical anti-operária.
A UGT de João Proença assinou o despedimento sem justa causa, o fulcro da insegurança de todos os assalariados. Causa-me repugnância uma Central Sindical cuja existência é, exclusivamente, para sancionar patifarias contra os trabalhadores.
Lembro-me de Torres Couto o indivíduo que se serviu da UGT para enriquecer, acabando por se tornar milionário pela via sexual, deixando a mulher e casando depois com outra, a tal outra filha de um milionário. O amor ao dinheiro foi o maior amor da vida de Torres Couto.
Agora saiu o engenheiro João Proença. Esteja quem estiver à frente da UGT está lá, exclusivamente, para sancionar as políticas anti-operárias.



Sem comentários:

Enviar um comentário