domingo, 24 de março de 2013

OS ESTADOS UNIDOS E OS PALESTINIANOS


Barack Obama esteve no Estado de Israel e no Estado da Palestina. Só que Obama não reconhece o Estado da Palestina.
Barack Obama está no segundo mandato de PR dos Estados Unidos, pelo que não pode ser candidato nas próximas eleições. Assim tem uma excelente oportunidade para fazer avançar o processo de paz entre os israelitas e os palestinianos.
Obama falou do futuro a estudantes universitários israelitas dizendo-lhes que é necessário fazer a paz com os palestinianos. Até lembrou aos estudantes israelitas para se imaginarem no lugar das crianças palestinianas, privadas, por enquanto, de viverem num Estado independente, reconhecido pelos israelitas.
Ora, o que se espera de Obama é que não fique pelas palavras, mas que pressione, efectivamente, Israel, como pressionou Carter, quando era presidente dos Estados Unidos, relativamente à devolução por Israel dos territórios conquistados ao Egipto.
A Guerra da Síria só interessa, verdadeiramente, a Israel e às ditaduras monárquicas medievais do Golfo Pérsico. Uma Síria enfraquecida é boa para Israel.
Obama chegou ao poder com promessas que não cumpriu, mas poderá resolver em definitivo o conflito israelo-palestiniano, se mostrar determinação em pressionar Israel, forçando Israel a cair na realidade. O conflito entre Israel e a Palestina tem que ter um fim, não pode demorar mais mil anos.

Sem comentários:

Enviar um comentário