terça-feira, 26 de março de 2013

O REGRESSO DE JOSÉ SÓCRATES ESTÁ A ASSUSTAR MUITOS SECTORES DA DIREITA


«Desvario e loucura»

«Sabemos que a direita opinativa bateu no fundo quando compara o espaço de comentário oferecido a José Sócrates na RTP com a tolerância de uma escola perante um cartaz com Hitler. Quem é a autora de tal feito? Esther Mucznik, a propagandista da causa israelita que anda há anos a defender o apartheid palestiniano e que comete a proeza de, numa penada, desvalorizar os crimes do nazismo, ao compará-los com as políticas (certas ou erradas) dos governos socialistas, e equivaler Hitler e Sócrates, produzindo um dos mais absurdos argumentos reductium ad hitlerum de sempre. E sugerindo ainda a censura de Sócrates - de resto, repetindo uma ideia que outros comentadores de direita têm vindo a defender. Tudo isto numa crónica que pretendia ser uma denúncia justa dessa tal situação ocorrida numa escola. O desvario da direita perante o regresso de Sócrates é tão surreal que começo a achar que Sócrates fez bem em voltar à política neste momento. Afinal, esta direita neocon está com medo de quê?» (Sérgio Lavos, in blog «Arrastão»)


O regresso de José Sócrates na qualidade de comentador da RTP, sem remuneração, fez mexer muitos inimigos e inimigas da liberdade de expressão de pensamento. O que acho mais curioso é haver na Internet tanto ódio à liberdade de expressão de pensamento.
A posição da anti-palestiniana Esther Mucznik leva-me a pensar que os judeus são contra o nazismo alemão porque os nazis escolheram os judeus como suas vítimas preferenciais. Se em vez de os alemães nazis terem exterminado seis milhões de judeus, tivessem exterminado seis milhões de árabes, penso que a opinião dos judeus sobre o nazismo alemão seria muito diferente.
Portugal está à beira do abismo e não imagino José Sócrates a vergar-se perante a troika como Passos Coelho se verga.
Estando Portugal à beira do abismo, parece-me útil, a diversidade de opiniões.

Sem comentários:

Enviar um comentário