domingo, 17 de fevereiro de 2013

CORRUPÇÃO LEGAL E ILEGAL


Já aqui escrevi que a corrupção legal é muito pior e tem uma magnitude muito maior que a ilegal.
O livro de Friedrich Nietzsche (1884 – 1900) «Para Além do Bem do Mal» é a reflexão mais profunda que conheço sobre os conceitos Bem e Mal e sobre os conceitos legalidade e ilegalidade. Nietzsche mostra a espécie humana no seu pior. Friedrich Nietzsche foi o filósofo oficial do nazismo, e não acho que tenha havido engano de Hitler e dos seus assessores, porque Nietzsche desprezava as classes trabalhadoras, odiava o comunismo, odiava o socialismo e odiava a democracia. Lendo Nietzsche com distanciamento crítico, encontramos nas suas obras reflexões que nos ajudam a compreender e a explicar as elites políticas, económicas e sociais de 2013.
As televisões portuguesas estão empenhadas na aplicação da teoria do alemão Joseph Goebbels, quando afirmava que «uma mentira de tantas vezes ser repetida acaba por se tornar verdade».
Em Portugal está a haver um verdadeiro massacre nas televisões feito por elementos do governo PSD-CDS e por «independentes» que os apoiam. O acontecimento televisivo mais repugnante a que assisti na semana passada foi a «SIC Notícias» ter incluído no painel de comentadores do jogo de futebol da Liga Europa Leverkusen 0 – Benfica 1 um activista político do CDS. Achei isso tão repugnante que em vez de mudar de canal desliguei a televisão.
Vamos então à corrupção legal. Já que veio a propósito o futebol, é bom não esquecer que duas das instituições mais corruptas do planeta Terra são a UEFA e a FIFA. É sempre útil recordar o jogo Chelsea 1 Barcelona 1, de 2009, para a Liga dos Campeões da Europa, em que o Chelsea foi roubado em 4 penáltis, claríssimos, contra o Barcelona. E o jogo França – Irlanda de apuramento para o Mundial da África do Sul, em que o avançado francês Thierry Henry dominou, descaradamente, a bola com a mão, para a poder passar a um colega que assim marcou um golo ilegal que afastou a Irlanda e apurou a França. Por outro lado acho que a eleição, no ano de 2012, do argentino Lionel Messi como «o melhor jogador do Mundo» foi pura corrupção. Em dois parâmetros fundamentais para avaliar o melhor jogador de futebol do Mundo Lionel Messi é simplesmente uma nulidade. Quer isto dizer que para a FIFA, em 2012, «o melhor jogador do Mundo» a saltar mais alto que um defesa e a marcar um golo de cabeça graças a essa elevação deve ser uma nulidade; e no parâmetro o jogador fintar um defesa a meio do campo e correr a toda velocidade para a área adversária, fazendo lembrar um sprinter dos 100 metros no atletismo, deve ser também uma simples nulidade. E já agora acrescento que nesses dois parâmetros Cristiano Ronaldo numa escala de zero a vinte tem a classificação de vinte. Penso que Cristiano Ronaldo foi colocado atrás de Lionel Messi em 2012 pela FIFA, por pura corrupção.
Outra instituição da corrupção legal muito cotada é o banco Goldman Sachs.
Duas instituições da corrupção legal na União Europeia muito cotadas são a chamada Comissão Europeia e o falso «Banco Central Europeu».
A corrupção do caso banco BPN em Portugal, em que houve um desfalque de 7 mil milhões de euros, é um misto de corrupção ilegal e de corrupção legal. Corrupção legal foi roubar os subsídios de férias e de Natal de 2102 aos funcionários públicos (não a todos, exceptuaram um grupo de elementos do PSD e do CDS), aos assalariados de empresas estatais e aos reformados do sector público e também aos do sector privado para pagar esse desfalque do banco BPN. Mas, é curioso que este roubo dos referidos subsídios de férias e de Natal, formalmente foi ilegal, mas o Tribunal Constitucional afirmou que foi ilegal, mas legalizou esse golpe. E assim, empréstimos bancários desses portugueses e portuguesas a quem foram roubados os subsídios de férias e de Natal ficaram por pagar e essas pessoas ficaram numa situação financeira perigosa. Muito reformados sustentam filhos e netos desempregados que já não recebem subsídio de desemprego ou nem sequer chegaram a recebê-lo. Muitos gostariam de fazer um investimento que lhes desse garantidamente 140% de lucro, como fizeram no BPN destacadas figuras da política da área PSD.
Grandes capitalistas portugueses como Soares dos Santos e Belmiro Azevedo fogem, legalmente, ao Fisco, indo pagar os impostos à Holanda. Outros elementos da alta burguesia transferem a riqueza, legalmente, para «Paraísos Ficais», para fugirem ao Fisco.
As televisões portuguesas dão o tudo por tudo para incutirem nas classes médias e nas outras abaixo a «moral do escravo», conceito desenvolvido por Nietzsche. Incutindo nas pessoas oprimidas e roubadas, legalmente, a «moral do escravo», bloqueiam a sua capacidade de reacção e tornam-nas resignadas até ao masoquismo.

1 comentário:

  1. Procuremos, então, pedir sempre a factura do cafézinho na tasca para ajudar a salvar o país.

    ResponderEliminar