sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

CONDENAÇÕES À MORTE SEM JULGAMENTO E RESPECTIVOS ASSASSINATOS


Na hierarquia de tipo feudal que é a NATO, todos os países membros desta organização são vassalos dos Estados Unidos. O comandante supremo das forças militares dos Estados Unidos é o presidente da República, actualmente Barack Obama.
Os países da NATO que tanto clamam pelos Direitos Humanos são todos praticantes ou cúmplices de condenações à morte sem julgamento.
Ora, as condenações à morte sem julgamento colocam-nos na Barbárie anterior à invenção do Direito pela República Romana.


«Obama dá ordem de assassinato»

«Na véspera da audição do Senado dos EUA para confirmar o nomeado para líder da CIA, John Brennan, alcunhado por alguns como o “czar de assassinatos” de Obama, a NBC News obteve acesso a um ‘livro branco‘ do Departamento de Justiça, que sumariza um memorando de 2010 (portanto sob Obama) que desenvolve a justificação legal para permitir ao governo conduzir assassinatos de afiliados a organizações terroristas, incluindo cidadãos dos EUA.

Para tal basta que um “oficial informado de alto-nível” considere que a pessoa constitua uma ameaça “contínua” aos EUA; ameaça que não precisa de ser iminente, mesmo que o alvo nunca tenha sido acusado de um crime ou tenha sido informado das alegações contra ele, e mesmo que o alvo esteja num local longe de uma presente zona de batalha.» (In bolog «5 Dias net»)

Sem comentários:

Enviar um comentário