domingo, 20 de janeiro de 2013

A OLIGARQUIA PORTUGUESA E OS OUTROS PORTUGUESES


«A oligarquia é sempre igual a si mesma, não importando qual seja a época ou o lugar onde exerça o seu poder. É moralista, hipócrita, velhaca, ressabiada, vingativa, rancorosa. E em Portugal viveu em pânico desde 2008 até 5 de Junho de 2011.» (In Blog «Aspirina B»)

Quero chamar a tenção para os autores e autoras que escrevem no Aspirina B que a oligarquia portuguesa teve algum receio de 2008 até 5 de Julho de 2011… mas teve medo da própria sombra e entrou mesmo em pânico oligárquico, quando o rei D. Carlos I foi assassinado, em 1908, e também em 1847, quando no contexto da Guerra-Civil da Patuleia a extrema-esquerda passou a dominar Portugal e no contexto do pânico oligárquico a rainha D. Maria II, num dos gestos da mais alta traição da monarquia a portuguesa, pediu à Espanha a urgente invasão de Portugal com tropas terrestres e à Inglaterra a urgente invasão de Portugal pela Marinha inglesa, invasões estas, rapidamente concretizadas, e «apagadas dos livros de História de maior circulação».
Entre 25 de Abril de 1974 e 25 de Novembro de 1975 a oligarquia portuguesa entrou num ciclo de pânico e de terror efectivos, que levou parte dela a fugir para o Brasil.

A oligarquia portuguesa tem efectivamente medo daqueles que a desprezam e não daqueles que a reverenciam, mais ou menos discretamente.

1 comentário:

  1. Olá! Gostava muito que visitasse o meu blog e deixasse a sua opinião. Se gostar partilhe-o pelos seus leitores :)
    http://umbrindeafrustracaodacondicaohumana.blogspot.pt/

    ResponderEliminar