sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

OS DIREITOS HUMANOS VISTOS PELA NATO


Um ministro de Hitler, Goebbels, afirmava que uma mentira de tantas vezes ser repetida passa a ser «verdade».
A NATO e a União Europeia, os países da União Europeia são quase todos da NATO e os que formalmente não são como a Suécia, na prática alinham em todos os crimes colectivos da NATO, especialmente na rede de raptos e de tortura, incluindo tortura até à morte, Guantánamo e Sucursais, e ainda fazem condenações à morte sem julgamento, directa ou indirectamente, protegidos pelo «segredo de Estado». Dos senhores da Guerra da NATO, Barack Obama não tem qualquer problema em divulgar que condena seres humanos à morte sem julgamento e manda realizar os respectivos assassinatos à moda da Máfia da Sicília, ou então com aviões sem piloto (chamados drones). Professores universitários do Irão são executados à maneira da Máfia da Sicília, por assassinos dos serviços secretos que se deslocam de moto, e outros são executados com drones, que matam famílias inteiras e vizinhos, homens mulheres e crianças de todas as idades. Os governantes dos países da União Europeia estão quase todos envolvidos nestes esquemas de tortura e condenações à morte sem julgamento e nos respectivos assassinatos, protegidos pelo «segredo de Estado». A civilização ocidental é, maioritariamente, governada por ladrões, raptores, torturadores e assassinos.
Tal com Goebbels, estes ladrões (e ladras), raptores, torturadores e assassinos que governam a civilização ocidental repetem sistematicamente a mentira de que respeitam os Direitos Humanos, convencidos na estratégia de Goebbels, de que a repetição sistemática desta mentira a transforma em «verdade».
E de vez em quando dizem que os outros não respeitam os Direitos Humanos, num exercício teatral de alta hipocrisia que é uma das características de 2012. Desta vez foram os donos da prisão de Guantánamo que resolveram dar lições de «Direitos Humanos», a todo o Mundo, e especialmente aos russos. O regime de Putin também não respeita os Direitos Humanos, influenciado, nomeadamente, pelos tais «anjos» da rede Guantánamo e Sucursais (como a de Bagram onde a tortura tem sido mais dolorosa do que no próprio Inferno), porque em Direitos Humanos não são as palavras que contam mas os exemplos, as acções.
 Putin “a este respeito, referiu-se às prisões de Abu Ghraib e Guantánamo, que não foi fechada apesar das promessas feitas a esse respeito, onde se «torturou» e porém se «continua a torturar», onde os prisioneiros permanecem sem que se lhes formule acusação e os leve a julgamento. Putin recordou também as prisões da CIA noutros países. «Imaginam o que sucederia, se fôssemos nós a fazer algo de semelhante? Desejariam comer-nos vivos há que tempo! (…) Como são eles os carrascos, tudo tranquilo, e silêncio», exclamou”. (In «El País» net») 



Exemplos de Direitos Humanos «urbi et orbi»

Sem comentários:

Enviar um comentário