quinta-feira, 8 de novembro de 2012

UMA SOCIEDADE DIVIDIDA EM CLASSES


Uma coisa que parece que algumas pessoas esquecem é que as sociedades são divididas em classes.
Em Portugal a burguesia destruiu a nobreza enquanto classe social, no século XIX, com uma simples lei, que proibia os morgadios, isto é, os bens de uma casa nobre deixaram de ir na totalidade para o filho mais velho, mas passaram a ser divididos, por imposição legal, em partes iguais, por todos os filhos e filhas legítimos (Decreto de 19 de Maio de 1863, que deixou de fora o morgadio do duque de Bragança, porque este era o próprio rei. Este último morgadio foi abolido em 1910, pela I República.). Era uma questão de tempo a destruição da nobreza como classe social, e assim foi.
Agora, em 2012, a alta burguesia domina a União Europeia, ostensivamente. O falso «BCE» empresta directamente dinheiro à alta burguesia financeira a 0,75% de juros e, pasme-se, está proibido de emprestar dinheiro aos Estados, em condições normais. O falso «BCE» só empresta dinheiro, directamente, aos Estados da moeda que emite, em caso de «resgate» e a 5% ou a 4% de juros. Até custa a acreditar!
Há assim uma colossal transferência de riqueza para a alta burguesia.
Custa aceitá-lo, mas a causa é a pouca inteligência e a pouca instrução das classes maioritárias. A alta burguesia oscila entre 2 e 5% da sociedade, mas domina-a, ostensivamente, devido à pouca inteligência das classes maioritárias, mas é mesmo assim, esta é a realidade.
É assim no ano de 2012.

Sem comentários:

Enviar um comentário